Seguidores

Translate

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Medo

Texto de: José Maria Souza Costa.

O medo, são varizes de alienamentos, expostos em fracassos,
Que relutam não seguir adiante, e fogem muito antes d' apesar.
Com métricas quebradas, que desvirginando rimas e compassos,
Fogem rodopiando névoas de ensejo, à contemplar o agrimensar.


O medo, é uma lâmina feral na alma, afligir, sem saber aonde ir.
Ansiedades em desvios, que não luta, em transversais de busca.
São duas linhas, entre o esconderijo e o fingir, que estar por vir
Na luta brusca, como se fosse uma brussa,à enfeitar o que busca.


O medo, é a tradução do pávulo, em paralelas cercanias do que sonhas.
É o tempo perdido estacionado na memória das trilhas novas sem voltas.
É um enigma humano a desflora-se em tempo desejado sem reviravoltas.


O medo, é uma linha tênue, entre o olhar e o bisbilhotar, da consemelhança.
O medo,  quase sempre é, um sentimento de fuga, em retículos esconderijos
Ou um rapapé, enrolando coragem em gritas, sem abordagem de esperança.


33 comentários:

Ana Bailune disse...

Olá, José Maria. Belo e visceral! O medo às vezes nos salva, às vezes nos perde...

Carmen Lúcia.Prazer de Escrever disse...

Oi José Maria,como é difícil em se falar sobre o medo.
Muitas vezes somos pegos de surpresa por um medo,que nos coíbe em vivermos uma realidade,ele nos desanima e poderá levar-nos à depressões e até mesmo a morte.
Graças a Deus não passei por isso,mas conheço pessoas que sentem esse medo sem uma explicação.
Lindo texto.
Carmen Lúcia.

Bell disse...

O maior erro que você pode cometer, é o de ficar o tempo todo com medo de cometer algum.

Tenha um lindo dia =)

AMBAR disse...

Hola José María, precioso poema, (el miedo) algo difícil de comprender, pero ahí está.
Ya estoy de regreso, acabo de publicar pero de Nuevo no actualizó.
Volveré a leerte con más tiempo.
Un abrazo
Ambar

Dilmar Gomes disse...

Amigo José, esmirilhaste o idioma!
O medo, ah o medo, quem não tem que atira a primeira pedra.
Um abraço. Tenhas uma boa tarde.

Lorena Lima disse...

Mas é o medo que nos fazer estar vivos, muita das vezes! Boa tarde!

ReltiH disse...

EL MIEDO ES UN ESTIGMA DE FÁCIL ACCESO.
UN ABRAZO

Pérola disse...

O medo é dos piores sentimentos que conheço.

Muito bem estruturada, a tua reflexão.

Beijinhos

Maria Emilia Moreira disse...

Olá José Maria!
O medo é algo que nos deixa sem capacidade de reagir e de raciocinar.
Desde criança sempre fui bastante medrosa, tenho que reconhecer. Um bom resto de semana.

Laura Santos disse...

O medo tolda-nos o olhar e o discernimento.Não existe pior inimigo da liberdade que o medo.
Belo poema, Zé! Muito elaborado.
xx

TARAUACAAGORA disse...

O blog do José Maria Costa é um verdeiro colírio aos olhos dos amantes da poesia, de um texto escrito com coerência e concordância ortográfica. Este texto intitulado de medo é uma demonstração do quão sábio és o nobre escrito arirense.

Luis Magno Alencar Andrade disse...

Como sempre muito bonitos os textos desse nosso poeta maranhense, o José Maria.

Luis Magno Alencar Andrade disse...

Como sempre muito bonitos os textos desse nosso poeta maranhense, o José Maria.

Arte & Emoções disse...

Olá José Maria! Passando para agradecer a tua visita e amável comentário, assim como apreciar este belo soneto.

Abraços,

Furtado.

*ELENA* disse...

Olá Maria!
Obrigado por visitar e marcar deixado no meu blog!
Você tem um blog muito interessante e eu vou voltar com prazer!
Tenha um bom dia!
Beijos e abraços da Roménia de distância!
*ELENA*

© Piedade Araújo Sol disse...

e por vezes até se tem medo do próprio medo...

:)

Darío disse...

Saber dosificar el miedo para no caer en la esquizofrenia o la parálisis... Un abraZO.

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Quem tem medo não vive a vida plena, apenas a sua metade.
Gostei muito.
Beijos,
Renata

Fernanda Bender disse...

O medo é paralisador.. impede a gente de buscar as coisas que queremos de verdade nessa vida. Gostei da definição: "um sentimento de fuga". Abraço!
http://rosageada.blogspot.com.br/

wcastanheira disse...

Um belo momento, por isso sempre é muito bom andar por aqui, pra vc deixo um fraterno abraço tchê...

wcastanheira disse...

Um belo momento, por isso sempre é muito bom andar por aqui, pra vc deixo um fraterno abraço tchê...

wcastanheira disse...

Um belo momento, por isso sempre é muito bom andar por aqui, pra vc deixo um fraterno abraço tchê...

wcastanheira disse...

Um belo momento, por isso sempre é muito bom andar por aqui, pra vc deixo um fraterno abraço tchê...

Raquel Bazán disse...

El angustioso sentimiento del miedo descrito con bellas imágenes. Un placer volver a leerte. Gracias por tu visita a Collar de ámbar. Saludos.

Marina-Emer disse...

MUCHAS GRACIAS POR TU VISITA ES UN PLACER PARA MI RECIBIRTE Y COMPARTIR TU AMISTAD
Con mucho cariño feliz semana
besos Marina

Arione Torres disse...

Oi amigo, belo post1
O medo às vezes nos leva à perdição, por isso é bom ter cuidado.
Abraços e boa semana!

Evanir disse...

Um abraço bem forte, bem verdadeiro,
abraço longo, cheio de sentimento.
Venho deixar meu abraço pelo dia do abraço
com muito carinho.
Evanir.

Denise disse...

Expressão de sabedoria. O medo pode nos paralisar. Muita paz!

Vento disse...

sabe José, eu não sei falar do medo.
lembro de quando era menina acordar apavorada de meus pesadelos.
hoje acho que aprendi a lidar com ele, sei que tomo cautelas aquando de dúvidas, como se uma voz me sussurrasse no ouvido: olha lá onde pões o pé, Maria..., e eu obedeço, caso não... é certo que sai asneira, rss, porém, asneira também faz parte do aprendizado ;))

abraço, poeta José.

Crista disse...

Conheces muito bem o medo e por isso o vencestes.
É isso que importa.
Atualmente não tenho mais medos,creio que é porque estou próxima do fim!
Zozezinho...lovo tu...e não tenhas medo de mim...ksksksksksks...

Graça Pires disse...

Vencer o medo é uma grande conquista... porque, como diz, o poema," o medo, quase sempre, é um sentimento de fuga" e é também a própria fuga...
Abraço.

Leeticia disse...

Olá, adorei seus poemas, são encantadores.
O medo é realmente tudo isso.
Beijos e seguindo
neversaynever-believe.blogspot.com.br

Beatriz Bragança disse...

Amigo José
Uma poética definição de medo,feita por um atento observador do comportamento humano!
Segundo os entendidos, este sentimento de inquietação que se sente com a ideia de um perigo real ou aparente,atinge muitas pessoas em diversas situações do seu quotidiano.
Parabéns pela forma como concebeu o seu poema.
Um abraço
Beatriz