Seguidores

Translate

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Naturalmente



de:  José María Souza Costa
 

 
Eu vou  prosseguir
Com o meu olhar
Pelo teu aroma.
E pelo teu aroma
Com o meu olhar
Eu vou te seguir:

Para enlear-te ao meu arpéu
E, persuadir em meu anelo.
  

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Intensidade



De: Lucas Montenegro
Músico, Crônista, Poeta e Letrista Carioca
 

 
Que do meu corpo parta um raio
Que quebre o céu em dois pedaços
E que o amor vindo de soslaio
Entregue-se aos amados braços

Quero ser atingido pela onda azada

E nadar todos os mares e mapas
Insular-me ao deserto e à estrada
Despir-me de blusas, botas e capas

Sofrer os sofrimentos do mundo

Sobrevivendo segundo a segundo
Colher cada louro de alegria
Cantar odes por noite e dia

Que me importa se tudo

Não passar de um sonho louco?
A certeza que eu tenho da vida
É que ela é muito pra ser só um pouco
.

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Analfabeto Funcional : Tempos e Modos.



de: José Maria Souza Costa
 

Um aluno consegue ler. Mas, esse mesmo aluno, não consegue entender, o que acabara de ler. Hoje, a Escola no Brasil, não exige e nem ensina o aluno a raciocinar ou a pensar. O vestibular na Universidade Particular, resume-se a uma redação, do tipo, " Fale Sobre Você ", construída em 20 linhas,  em um tempo de uma hora e meia. Findado esse período, três horas e meia depois, o vestibulando recebe um correio eletrônico, com a saudação de aprovado, e como se fosse uma cafitinagem, junto acompanha um boleto bancário, para que seja quitado a matrícula do curso sonhado.
E assim, de um lado, está alguém fingindo vender conhecimento, saber. opinião, conceitos, enfim...
 
E do outro lado, um dissimulado acadêmico intelectualizante, candidato ao Mestrado Leguelhé.
 
Ao centro dessa patomania toda, um MEC ( Ministério da Educação)  tresloucado, tresvariado, sôfrego, funesto, catástrofico, calamitoso, prostituído e patrocinador de toda essa promiscuidade.
 
Na outra margem da Vida, aparece um Mercado de Trabalho Técnico, qualitativo, exigente em pensamentos e racíocinios. Nesta Terra de analfabetos funcionais, em todos os seus extremos, credes tu, que um aluno do Ensino Médio, não consegue preencher um formulário a uma Vaga de Emprego, por mais simplório, que seja esse questionário.
Um País, que fala-se em " cotas" para tudo. E este transforma-se em um Comissariado, legalizado.
Aqui no Brasil, estudar, é sinônimo de sacrifício. Estudar, aqui no Brasil, significa o individuo encher uma sacola com livros, colar às cotas, à africana, passar um pouco mais de 04 horas e meia preso em uma sala, e ali deixar rossar a bunda em um tamborete.
O Professorado no Brasil, recebe em média, 300 dólares mês, como salário. Do PIB Brasileiro, menos de 10%, é  investido em Programas Educacionais. No Brasil, é proibido um Estudo de qualidade. A Metodologia Educacional Brasileira, não exige mais que a criança, aprenda a ler, soletrando as palavras, e nem desenhando as letras. A Tabuada, virou coisa rara, está em extinção, e a criançada não sabe as operações aritméticas : Somar, Diminuir, Multiplicar e Dividir. O que existem hoje, são Calculadoras Eletrônicas.
No Brasil, existem hoje, mais Universidades Particulares, que Farmácias, Açougues e Padarias, tudo juntos e misturados.
Para onde vamos ?
Certamente teremos um País de doutores cambaleantes, estrupados em seus doutos, com os anéis ornamentados no brilhar da desfaçatez.
Enquanto isso, com a tarja de "Doutora Honorius Causis", resta à Pátria Mãe Gentil, " orar  por nós", e assim verás, que um filho teu não foge à luta.

terça-feira, 7 de agosto de 2012

Mar de Mearim



de: José María Souza Costa
 

 
O rio. Maré. Mar, preaMar. Águas que vão e que voltam. Correnteza ! Águas que incham. Mururu, que desliza por essas correntezas. Enchente. E o rio a pratear como um lençol, exposto ao Sol. O rio. Aningas. Aningais. Barcos, velas. Banhar ! Todos neles querem navegar. Barreiros, Bonfim, Perimirim, todos sempre a contemplar. O rio. De curvas. De ondas e nuances. Pororocas, a deslizar. No rio. Tem sempre alguém a mergulhar. No rio. Tem sempre tantos a pescar. No rio. A pescar ! Sim, a pescar ? Sim, broto, bonito, carambanja. E canoas em camboas a deslizar com: varas, linhas, côfo, e ante isso tudo, o homem a contemplar. O rio.

      

sábado, 4 de agosto de 2012

Um Recital Sob Minha Janela





de:  José María Souza Costa
 
 

                                      Eu tenho lembranças de você.
                                      Eu tenho vontade de te     ver.
                                      Faço na vida surgir nascer um sonho
                                      E de repente plotar um Mar, com você.
                                      Pra querer te agarrar,
                                      Eu preciso te achar
                                      E se quiseres alguém que te incendeie
                                      Aproveite o derramar da veia, prestes a vazar.


Nenhum lugar é o nada, ou o repouso
De um sonhar sem querer deslizar
Pelos desejos de querer conhecer a felicidade.
A realidade pode acontecer bem distante
Dos olhares de quem enamorou eternamente
As eternas manhãs, em busca de paridade.

                                                   Que vontade de te ver,
                                                                       De querer te abraçar.
                                                                                       Imagino assim querer
                                                                        E começo a sonhar.