Seguidores

Translate

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

CANOA



de: José Maria Souza Costa


Canoa,
Içada pelos velhos ventos,
A deslizar nas águas desses lagos,
Desses rios, desses mares, regida
Pelos velhos remos, para enfeitiçar-me,
E ensinar como caminhar em Paz.

Canoa,

Para ancorar, nas croas ou nos mangues,
Nas rampas dos seus sonhos, sem enganos.
Para transportar carícias e malícias,
Na transversal das águas abaladas,
Pelos ventos... quase minuanos.

Canoa,
Que faz das águas, o teu manto,
E faz do remo, o teu leme, o teu encanto
No produzir do espumar das águas,
O mesmo som das águas que desaguam,
E traduzem-se, em sons e cantos.

Canoa,
Para velejar com retidão,
Fazer das rimas, uma gratidão
Para ancorar nas veias desse riachão,
Para levar-te à sedução e seduzir,
A lhe induzir, de boa,
Como as águas que iludem-se,
Quando beijam a tua proa.

Aí, se partem as mesmas águas, que desaguam
E te fazem navegar ...
Canoa.


13 comentários:

Gi Zamai disse...

Muito delicado este texto, suave, acolhedor...Amei amigo, Beijossss

AGÊNCIA SÃO JOÃO BATISTA-MA disse...

Como sempre, um belo texto pra lermos...

Vejo só amigo, estamos criando um site, que se chamará Portal de São João Batista e contaremos com colunista que visitam o Blog e querem postar o que quizerem...

Já estamos fazendo o convite para o amigo, caso queira uma coluna no nosso blog.

Abraços

Jailson Mendes

Vera Lúcia disse...

Olá José Maria,

Belo poema!
Gostei da leveza dos versos.

Abraço.

Bruno JP Teixeira disse...

OLÁ JOSE MARIA, OBRIGADO POR VISITAR MEU BLOG!

VIM RETRIBUIR A VISITA E JÁ ESTOU SEGUINDO JUNTO PARA CONFERIR AS NOVIDADES DO SEU BLOG!

------
ABRÇS
BRUNO JP TEIXEIRA - O PORTUGA
http://brunojpteixeira.blogspot.com/

Teeh disse...

Fico feliz em saber que gosta da história do blog.Volte sempre e deixe sua opinião quando quiser (:

Luís Coelho disse...

Canoa, caminhos e caminhadas onde os remos e as águas se abraçam, se beijam e se transformam.

Entramos na viagem e sentimos o feitiço dos sonhos e enganos.

Everson Russo disse...

Que essa canoa encontre a rota do amor,,,o encontro do horizonte com o mar...abraços de bom dia pra ti amigo...

Dαvid disse...

É verdade. Há quem consiga passar a vida e não se meter em certas coisas. Não se deixar perturbar apesar dos problemas. É assim que a devemos viver, afinal ela é curta de mais!

Um abraço

Néia Lambert disse...

José Maria fico encantada com a leveza da sua poesia, maravilhosa!

Um abraço.

Lillo Dogmez, o licantropo. disse...

TEXTO FLUENTE, COMO AS ÁGUAS QUE ESSA CANOA TRESPASSA. SUAVIDADE E FACILIDADE DE LEITURA. MUITO BOM. ALIÁS, BOM É POUCO: EXCELENTE!

DEPOIS PASSA LÁ:
http://thebigdogtales.blogspot.com/2012/01/lobisomens-persas-origem-final.html

Canteiro Pessoal disse...

Interessante o espaço!

Priscila Cáliga

ELIZEU CARDOSO disse...

para mim também criado entre canoas, campos e águas, acaba por ser um reencontro comigo mesmo

Ana Muela Sopeña disse...

Um poema muito belo, José Maria:

Gosto do som dos teus versos e a macieza da tua visão do mundo.

Parabéns
Beijos
Ana