Seguidores

Translate

sexta-feira, 10 de junho de 2011

O Livro de MATA-mática, do MEC, do Haddad



10 menos 7 é igual a 4 ( 10 - 7 = 4 )
16 menos 8 é igual a 6 ( 16 - 8 = 6 )

Se já não bastasse " os livro " e " nós pega o peixe ", agora, desgrigolou de vez, por que o livro de matemática elaborado pelo Ministério da Educação, e que fora distribuído, em mais de 39 mil©lasses da zona Rural, pelo programa Escola Ativa, possui essas aberrações acima, que traduz o acinte, o estupro, de como é tratado o item EDUCAÇÃO, nesta Pátria Mãe Gentil.
São erros básicos, grosseiros, que nem vale apena colocar uma errata no " rodapé" da coleção. A idéia que passa, é que existe um problema de gestão no MEC.

É o mesmo MEC, que :
- ...avacalha com o ENEM
- ...esculacha com o PROUNI.....e, ainda assim entende que deve patrocinar orientação Sexual juvenil.

Pelo menos alguém teve um gesto de grandeza, o André Lázaro,que era chefe da Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade ( SECAD ), no dia 03/06, pegou o boné e foi pra casa. É menos um aloprado, como denomina Lulla, a Petizada, atrapalhada.

Mas, o MEC diz o seguinte, que foram encontrados erros apenas em 05 dos 35 que compõe a coleção, Escolas Ativa.

Ora, cara pálida, se foram distribuídas 200 mil coleções, haveria erros em pelo menos 1 milhão de exemplares. E o pior é que a Controladoria geral da União, afirma que esse trabalho custou 13 milhões e 600 mil, aos cofres Públicos.

Traduzindo: saiu do bolso da  patuléia.
são erros imperdoavéis, o MEC, precisa melhorar o Mecanismo de Controle de Qualidade, por que do jeito que a Pororoca está, o Lulla, não vai conseguir eleger o Fernando Haddad, Prefeito de São Paulo, e verá pela janelinha do desejo, a tucana eternizar-se na capital Paulistana, ainda que " as bicadas ".
Tenho absoluta certeza, que existem intelectuais renomados ainda neste país,que possam gerenciar o MEC, e não seria neste momento que sentiríamos saudades, do Jarbas Passarinho
 

3 comentários:

Jão disse...

Só tenho uma coisa a dizer.

Ridículo.


Abraços!

Cristina Costa disse...

Para uma educadora, fica até difícil comentar um absurdo destes...

Mas é como você mesmo já disse é um reflexo de como a educação é tratada neste País.

Vários estados já entraram de greve e agora, é a vez de Minas Gerais, cruzar os braços., para que o Governo cumpra a LEI DO PISO e pague o piso para os professores e demais profissionais.

Gi Zamai disse...

Nossa, me recuso a cre em algo assim! Isso é uma afronta ao povo que precisa aprender. E nada vai ser providenciado? Abraços