Seguidores

Translate

quinta-feira, 5 de maio de 2011

CONTEMPLAÇÃO


Quão formosos são, os olhos da minha namorada
Que expelem meiguice, e aglutina na comunidade
O dom da ternura, que mescla-se a uma amada
E que traduz, no reluzir de um olhar, a divindade.


Esse brilhar, esses raios de uma eterna chama
É que alienia a alma, e cativa os sentimentos, e
Interroga a libido, e contempla na deusa ama, a
Leveza desenhada, em arrebatados movimentos.


Quão belos olhares, navegam sutilezas mil
Envoltos em mares de gestos, e véus bordados
Com solos afinados, em galanteios de amada,


E assim, sem influenciar-se pelo metal vil jurado
Afirma-se em linhas tortas de papéis riscados
Que os olhos são reflexos, de uma alma enamorada.




6 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Olá José Maria.
Bela declaração de amor, em forma de poema. Adorei.
Grande abraço

Daniel Savio disse...

Olhos são reflexo do alma, então se tem meiguice, o coração dela que transborda de meiguice...

Fique com Deus, menino Jose Maria.
Um abraço.

Antonio José Rodrigues disse...

"Tão bom morrer de amor e continuar vivendo."

Mário Quintana
Abraços

Jão disse...

Linda alma enamorada, linda poesia.


Abraços!

Confissões de uma borboleta disse...

Belo poema...
Uma declaração de amor perfeita.
Beijo

LUÍSA ARTÉSA disse...

Lindo, José Maria!

Maravilhosa composição!
Meus cumprimentos, que esta linda declaração seja mais que valorizada a quem lhe rendeu a inspiração!

Beijos!

Luísa Artèsa.