Seguidores

Translate

domingo, 3 de outubro de 2010

TRANSCENDENTAL

TRANSCENDENTAL

poema extraído do Livro Essência das Coisas

de: José Maria Souza Costa

Derrama o frio, quando teu corpo

Nu rossa no meu.
E volta o arrepio
Desse ser alusivo, na ânsia
De querer deitar e fazer.


Fazer cópula.
Amar sem exagerar.

E com meu ego,
Esse teu eu alimentar.

Então, diga ao prazer que vivo
Rossando, esfregando e
Às vezes chamando,

  Para querer, deitar e fazer.




Um comentário:

Sandro Guimarães disse...

Caríssimo José Maria Costa, já estou segindo seu blog 'excelente'!
Estarei sempre visitando.
Grande abraço.