Seguidores

Translate

terça-feira, 5 de outubro de 2010

COPULANDO COM A ALMA

texto extraído do livro A CANÇÃO EM MAR ABERTO
de: José Maria Souza Costa
Hoje eu estou "zen".

Na verdade eu amanheci "zen".
Confesso que a minha vida por ser simples, ela é  boa.
Nesta arte de viver, agente sempre encontra um amor, uma razão de vibrar, de entender-se com a alma, e com o coração.
Nesta vida agente quer quase tudo.
Agente quer liberdade, quer carinho, quer entendimento, quer aconchego, quer lutar pelos nossos direitos, quer fazer-se entender e compreender o sentido do verbo "ser".
Na verdade agente quer mesmo, é está de pé para aplaudir sobretudo a vida.
Sabes, o que é o amor ?

Eu não sei.
Então quem sabe, o que é o amor ?
As coisas se deixa acontecer naturalmente na vida de uma pessoa pela manhã, pela tarde ou pela noite. Sempre as pessoas se cruzarão, e por isso jamais as coisas se esquecem, quase sempre  acontecem.
Sempre confessei, e confesso que tenho alma, por isso afirmo sempre que tenho amor e, a minha alma está sempre copulando, sempre querendo trepar, como se constantemente vivesse debaixo de um pé de goiabeira.
Diante disso indag-me:
O que fazer ?

Subir na goiabeira e ficar com o dedo na boca, olhando o frescor dos frutos passar sem rumo, e sem brilho sob seu nariz ?
Hoje eu quero mesmo é entregar-me a você, me deitar, me escabelar, perder as minhas razões em seus braços e deitar em sua cama. Recordo-me, do quanto corri em sua direção, e lambuzei a minha alma com a sua. Borrei a minha alma com a sua. Revirei os meus sentimentos, e percebi que ainda se precisa muito para  compreensão humana. Ainda que seja para aplaudir, ainda que seja para vaiar, ainda assim, é preciso lutar e muito pela conquista daquilo que um dia agente sonhou.

Não se pode desanimar dos sonhos,  sei que as vezes da vontade de parar, de desfazer de tudo, mas não se pode deixar que isso aconteça, entregar-se ao fracasso, não deixar a alma chorar, não deixe o seu coração se afogar em lamúrias, não deixe as pernas tremer, e nem a saliva secar, não se canse jamais de ama, e nem de pensar, nem de se planejar, sem planejamento não se chega a lugar nenhum, nem de pedir ajuda, nem de buscar, nem de sentir-se importante, por que em tudo, no caminhar dos desejos, a vida vai lhe expor a um posicionamento diário.

Eu tenho alma e você também tem, por isso é que agente se encontra, por isso é que agente se vê, por isso é que agente se acha e, aí a alma pula, berra e copula.
Eu preciso conquistar uma outra metade de sua alma, para embrulhar com a minha e caminhar, pelos campos floridos das tesões piscianas.



3 comentários:

Uni ver sos disse...

Olá!
`
Passando para agradecer a visita!

Abraços,

poesias maria do carmo disse...

forte,lindo,explendido,adorei,a cópula das almas,muito bom,abraços.

CARLOS CRISTIANO 2010 disse...

Ok meu amigo, agora é a sua vez de me seguir um abraço.