Seguidores

Translate

sábado, 25 de setembro de 2010

VINHO


VINHO

Poema extraído do livro ESSÊNCIA DAS COISAS

de: José Maria Souza Costa

Jorrar seu vinho em minha cara
Escoar desejos, esporrar na aura
Sentir prazer ou fazer libido
Uma nau que tenha calma
e que transforme a alma.


Deixar sair pelos poros do seu baixo
Invadir a garganta
E encher a boca dessa coisa amarga
Dessa tara que escorre pelos seios
Desse liquido, dessa farsa.


Se jorrares a gota a gota
Talvez os prantos, invade os mantos
E o que vaza pela boca
Talvez nem seja um vinho-santo
Mas, o sumo do teu corpo
Que, me desvaira tanto.


Se traíres seu amante, com seu vinho
As coxas, os peitos, os pêlos
Se agitam num movimento de carinho
O que não for gozo, atrito, vinho-amigo
É a voz do seu útero
Para o meu umbigo.





Um comentário:

BLOG DO LOBÃO disse...

Valeu amigo, foi um prazer conhecer seu blog, nele vejo algo diferente e encantador. O seu blog está na minha lista de blogs. Um grande abraço e sucesso.


Deusimar Lobão
Tuntum-Ma