Seguidores

Translate

domingo, 12 de setembro de 2010

QUANTO MAIS "xique" - MAIS LIXO.



blogdojosemariacosta
Texto extraído do livro: A Canção em Mar Aberto
de: José  Maria Souza Costa
Não estava fazendo coisa nenhuma na vida.
Tive uma ideia.
Vou pesquisar sobre moradias na minha São Paulo.
Saí por ai a bater pernas por diversos bairros. Caminha daqui, para-se ali, pergunta uma coisa aqui outra ali. Muita gente informa, as coisas em São Paulo, basta perguntar, basta aproximar-se com cortesia, polidez, educação, essas coisas que a Sociedade finge que gosta, e agente finge que é, e por isso usa.
Sair por ai borrando a vida, pela Bela Vista, por Santa Cecília, por Higienópolis, pelo Pacaembu, pela Vila Madalena. ( Caraca, fazia o maior tempão que eu não ia até a Vila Madá, morei lá na década de Oitenta, como sempre bela, e elegantemente devassa), enfim inventei que queria morar em uma Casa de Pensão, e por isso gostaria de alugar um Quarto, em uma  dessas casas.
A sensação que eu tive, depois que esta cidade me adotou a 30 anos atrás, é que a politica habitacional neste País, é nenhuma, vezes nenhuma. É estarrecedor, como as pessoas moram mal. Como é humilhante a qualidade de vida que leva essas pessoas, que  aglomeram-se nesses locais. Chamá-los de "cortiço" é uma ofensa enorme a obra do Aluízo Azevedo romancista Maranhense e Brasileiro que escreveu obra de nome semelhante.
Quanto mais o bairro, vai-se denominando "xique", mais lixo ele apresenta, mais miséria ele expõe, mais desgraça ele oferece ao ser humano, uma verdadeira afronta à humanística.
Existem lugares, em  que as pessoas precisam dormir de pé.
Outros que a fachada da casa, parece um castelo. Mas, quando abre-se a porta da dita cuja,a podridão,o mau-trato,o ambiente é horripilante, escrevo isto com toda a certeza e afirmo, os albergue, as casas de moradias de povos em situação de ruas, são mais asseiadas, mais limpas e mais perfumadas. Não que as pessoas em situação de ruas, devesse está em uma situação deplorável, mas o ser humano é que tem que ser mais sensível, mais amável, humanamente mais carinhoso, senão o futuro é um incêndio sentimental desproporcional. Na verdade isso já ocorre, basta agente caminhar pela Praça da Sé, para derramar a visão, em misérias, maltrapios e farrapos humanos, expostos em bancos e muretas da mesma.
Aonde queremos chegar afinal ?
Não sabes ?
Nem eu ?
Vou copiar o Dorival Caymmy:
- Nem eu, nem eu, nem eu.
Mas, de uma coisa tenho certeza, o governo, seja ele qual a cor que seja, seja qual for a  bandeira, tucanatos, vermelhos, vira casacas peemidebistas, seja qual a sigla em que ele se esconda, tem a obrigação de cuidar das pessoas.
Cuidar das pessoas, sem olhar a cor da pele, o sexo, a religião, ou o CPF.
São Paulo está assim, quanto mais "xique" as ruas, as avenidas e as fachadas das moradias, mais lixo, mais lixo, mais lixo e mais lixo.
Ponto Final




     



--
José Maria Souza Costa
     



--


      

2 comentários:

dri chaves disse...

olá...
agradeço pelas palavras tecidas em meu blog e já estou a lhe seguir. Estou entrando em contato com os seus excertos e estou a me admirar! Mais um arariense nesse mundão de meu Deus, hehe... Fique à vontade e seja bem-vindo!!!

raybanoutlet001 disse...

oakley sunglasses
sac longchamp
christian louboutin
true religion outlet
polo ralph lauren outlet
bears jerseys
cheap jordans
ralph lauren polo
cardinals jersey
air jordan 4