Seguidores

Translate

segunda-feira, 19 de julho de 2010

VICE DE SERRA LEVA PUXÃO DE ORELHA E VOLTA ATRAS

Folha.com no Twitter 19/07/2010 - 13h10
Após repercussão, vice de Serra diz no Twitter que "PT não faz narcotráfico"
Publicidade
DE SÃO PAULO

Após a repercussão de sua declaração de que o PT tem ligação com o tráfico e com os guerrilheiros das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia), o vice na chapa do tucano José Serra à Presidência, Indio da Costa (DEM-RJ), voltou a comentar o assunto hoje no Twitter.

"PT não faz narcotráfico. As Farc, sim. [Clóvis] Rossi na Folha: 'quem respeita um projeto narcoterrorista não merece respeito'", disse Indio em seu microblog.

O democrata fez os ataques ao partido em entrevista concedida sexta-feira ao portal "Mobiliza PSDB", que integra o aparato da campanha tucana na internet.


"Todo mundo sabe que o PT é ligado às Farc, ligado ao narcotráfico, ligado ao que há de pior. Não tenho dúvida nenhuma disso", afirmou Indio na ocasião.

Em texto publicado na madrugada de sábado no Twitter, Indio chamou Dilma de ateia e "esfinge do pau oco". Ele fez o ataque após a petista afirmar, em comício na noite de sexta-feira no Rio, que seu vice "não caiu do céu".

"Para uma ateia, deve ser duro ter um adversário que cai do céu", reagiu o democrata, em texto que foi ao ar por volta de meia-noite de sábado.

Ainda na madrugada, o vice de Serra usou o microblog para acusar Dilma de "dissimular sobre religião". "Ela nem consegue olhar nos olhos do eleitor. Esfínge [sic] do pau oco", atacou.

Os comentários de Indio foram republicados por dezenas de internautas. Simpatizantes de Dilma o acusaram de "apelar" e baixar o nível do debate eleitoral.

A petista tem se apresentado na campanha como católica. Em sabatina na Folha em 2007, ela disse não ter certeza sobre a existência de Deus. "Eu me equilibro nessa questão. Será que há? Será que não há?", disse.

PROCESSO

Hoje, o presidente do PT, José Eduardo Dutra, e o secretário-geral da legenda, José Eduardo Cardozo se reúnem para decidir se convém ou não ao partido abrir um processo judicial contra Indio.

Para aliados, o vice exagerou na dose ao questionar as crenças da adversária e ligar seu partido à guerrilha colombiana e ao narcotráfico.

"Não dá para cravar que o PT tenha relação com as Farc", censurou o presidente do DEM, Rodrigo Maia. Ele evitou criticar publicamente o colega de partido, mas, nos bastidores, demonstrava estar perplexo.

Candidato ao Senado na chapa de Serra em São Paulo, o ex-governador Orestes Quércia (PMDB) também reprovou o ataque ao PT.

"Não é o momento para fazer esse tipo de conexão", desautorizou o peemedebista.