Seguidores

Translate

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

QUANTO MAIS "xique" MAIS "lixo".

Não estava fazendo coisa nenhuma na vida.
Tive uma ideia.
Vou pesquisar sobre moradias na minha São Paulo.
Saí por ai a bater pernas por diversos bairros.
Caminha daqui, para-se ali,pergunta uma coisa aqui outra ali.
Muita gente informa as coisas em São Paulo, basta perguntar, basta aproximar-se com cortesia, polidez, educação,essas coisas que a Sociedade finge que gosta e agente finge que é, e por isso usa.
Sair por ai borrando a vida, pela Bela Vista, por Santa Cecília,por Higienópolis, pelo Pacaembu, pela Vila Madalena. ( Caraca, fazia o maior tempão que eu não ia até a Vila Madá, morei lá na década de Oitenta, como sempre bela e elegantemente devassa), enfim inventei que queria morar em uma Casa de Pensão, e por isso gostaria de alugar um Quarto em uma dessas casas.
A sensação que eu tive depois que esta cidade me adotou a 29 anos atrás, é que a politica habitacional, neste país é nenhuma, vezes nenhuma. É estarrecedor, como as pessoas moram mal. Como é humilhante a qualidade de vida que leva essas pessoas que se aglomeram nesses locais,chamá-los de "cortiço" é uma ofensa enorme a obra do Aluízo Azevedo romancista Maranhense e Brasileiro que escreveu obra de nome semelhante.
quanto mais o bairro, vai-se denominando "xique", mais lixo ele apresenta,mais miséria ele expõe,mas desgraça ele oferece ao ser humano, uma verdadeira afronta à humanística.
Existem lugares que as pessoas precisam dormir de pé.
Outros que a fachada da casa, parece um castelo. Mas, quando abre-se a porta da dita cuja,a podridão,o mau-trato,o ambiente é horripilante, escrevo isto com toda a certeza e afirmo, os albergue, as casas de moradias de povos em situação de ruas, são mais asseiadas, mais limpas e mais perfumadas. não que as pessoas em situação de ruas, devesse está em uma situação deplorável, mas o ser humano é que tem que ser mais sensível, mais amável,humanamente mais carinhoso, senão o futuro é um incêndio sentimental desproporcional. Na verdade isso já ocorre, basta agente caminhar pela Praça da Sé, para derramar a visão, em misérias, maltrapios e farrapos humanos, expostos em bancos e muretas da mesma.
Aonde queremos chegar afinal ?
Não sabes ?
Nem eu ?
Vou copiar o Caymmy:
- Nem eu,nem eu, nem eu.
Mas de uma coisa tenho certeza, o governo, seja ele qual a cor que seja,seja qual for a sua bandeira, tucanatos, vermelhos,vira casacas peemidebistas, seja qual a sigla em que ele se esconda, tem a obrigação de cuidar das pessoas.
Cuidar das pessoas, sem olhar a cor da pele, o sexo, a religião, ou o CPF.
São Paulo está assim, quanto mais "xique" as ruas, as avenidas e as fachadas das moradias, mais lixo, mais lixo, mais lixo e mais lixo.
Ponto Final
José Maria Souza Costa

sábado, 10 de janeiro de 2009

COMENTÁRIOS DA LUCIANA SANTOS

Luciana Santos
para mim

mostrar detalhes 23:50 (10 horas atrás)


Responder


"sempre haverá tempo, para que as pessoas transformam-se"

É interessante como podemos passar anos fazendo coisas sem sentido e em um instante nos transformar.

2009/1/2 Jose Maria Souza Costa

Começa um chamado novo tempo.

sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

POR QUE TEM QUE COMEÇAR, UM NOVO TEMPO ?

Começa um chamado novo tempo.
Para algumas pessoas, para algumas muitas pessoas.
Evidentemente que sempre há tempo para tudo.
Tempo para recomeçar,tempo para começar,tempo para tergiversar....enfim, sempre há tempo.
Assim como existe tempo para as pessoas lerem mais, se informarem mais,falar e escrever sobre coisas boas mais,deixar de ser alienado mais,por tudo isso e mais com tanto tempo que sobra, sempre haverá tempo, para que as pessoas transformam-se.
Por essas e por tan tas outras é que, e ten demos que o recomeço está dentro da alma,do coração,no sangue daquele que sempre está disponível a mudar.
Por isso mude, tome uma atitude,não para provar para A ou para B, que você mudou,mas para deletar da própria alma, o sentimento de impotência,de desanimo, que as vezes por distraão ou coluio apromixa-se de alguns.
Ponto Final.
José Maria Souza Costa