Seguidores

Translate

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

.........O GRITO SILENCIOSO........

Um grito silencioso deixa de ser matáfora, e passa a conviver cotidianamente, lado a lado com uma camada social quase sem amparo, sem voz, sem vez, sem direção, sem rumo e, que tem apenas as "ruas", como identidade.
Isso mesmo, as "ruas" como endereço de moradia.
São pessoas estas, à orla da cidadania, por favor não queira confundir com " falta de dignidade". O grito silencioso existe e, só existe por que fere e dói naquilo que o ser humano, quer seja pobre, quer seja rico, quer seja necessitadoi, quer seja ele abastardo, quer seja negro ou branco, albergado ou condominizado, empregado ou desempregado...enfim, ele ataca o essencial dessas pessoas, a alma humana.
Evidetemente que não precisa ser sociólogo para falar ou escrver sobre disparidade social, neste País continental, de diferenças enormes e preconceitos mil. São valores que não adquirimos em bancos escolares, nem nas ruas e muito menos enclausurados e deleitando-se pelas vias palacianas. O espirito humanitário, você traz consigo desde o nascimento, vou mais além, desde a concepção e o conduz até o último suspirar.
Alguém lhe empurra para a situação de rua. Certamente ninguém quer viver em uma situação desagradável dessa, isso não é correto, não é salutar e humanamente escrevendo é doloros. Todos nós queremos um teto, uma cama, um lençol para embrulharmos nas noites frias e geladas como são as de São Paulo, nos dias de inverno. todos queremos após o cansaço, tomar um banho morno e depois deitar e depois dormir e sonhar. Isso mesmo, sonhar com esse carocel que gira e ruma na direção dos sonhos ilimitados que todos chamamos de vida e delata rumo a perigrinação dos caminhos diferentes que todos acostumamos a chamar de relacionamento ou de amizade.
Amizade - é algo singular, cada um tem a sua. Cada um a alimenta da maneira que bem entender e faz dela a ponte que achar suficiente para estreitar, para encolher esse relacionamento.
O ser humano em situação de rua, está exposto por "ennes" motivos e, quase não encontra ajuda para sair desse poço sem fundo, um verdadeiro saco sem costura.
Pergunta-se:
O que está sendo feito de verdade, para aquilo que os intelectuais chama de "Reiserção Social", dessas pessoas ? Se raciocinarmos um pouco, quase nada, ou muito pouco é feito. O que existe são "assistencialismo" patrocinados por "ONGs" ( organizações não governamentais), que simplesmente "entope" o estomago dessas pessoas durante á noite, serve um café "amornado" ao amanhecer e, depois os solta portão afora.
Mas você dirá:
- Isso é bom, mata a fome das pessoas.
Eu não estou escevendo que seja ruim ou que seja bom, que eu seja contra ou que eu seja favorável, o que eu quero é lhe convidar para refletirmos juntos, se não dá para fazer mais e mais, por esses povos de rua...por que, além de doar um simples marmitex com comida, um chinelo velho e usado, umpar de sapato velho, usado e maior que o pé do necessitado, acompanhado de um par de meia furado e sobretudo uma de cada cor, que tal humanizar o nosso espirito e, não dividir as dores com os povos de rua, mas solidarizarmos, para que esses mesmos povos se sintam acolhidos em uma sociedade irmanada na Cristandade.
Todos podemos lhes dá, mais que um boné para cobrir-lhes a cabeça, deveriam lhes dá um Curso de Capacitação Profissional gratuitamente no Senai ou no Senac, que são Escolas Profissionalizantes. Deveríam-lhes dá Estágios em empresas conveniadas com os governos, Federal, Estadual e Municipal. Deveríam-lhes dá, Escolas e Cursinhos, tudo gratuitamente...enfim deveriam lutar com toda a Sabedoria para que as pessoas não sobrevivessem e nem retornassem à " situação de Rua".
No fundo, no fundo, nenhuma pessoa quer viver perambulando pelas ruas das Metrópoles e ainda que exista aqueles que digam que gostam,, são os que perderam o Autoestima de uma moradia salutar, de um Lar e da Companhia da sua Família.
Faz-se necessário, resgatar esses vsalores humano, fazer resurgir e tangi-lo, na direção do convívio dos povos irmanados com a vida. Eu escrevo civilizado, no sentido de: desemvolvido, conciliador e respeitador.
É bom saber que os povos em "situação de rua" tem nome, tem vez, tem voz. A maioria pensa e se organiza, logo eles teem VOTOS, são chamados a emetir opinião através das URNAS, e mesmo sendo na maioria das vezes lhes negada, todos eles possuem CIDADANIA.

NOTA:
este texto foi publicado em 2005, no Jornal " O GRITO SILENCIOSO", sob o título "Caçador de Mim", mas somente nesta data, quis estampar em meu Blog.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

A COMUNIDADE DA TURMA " Q" NO ORKUT ( site de relacionamento ) NADA DE ACADEMIA DE LETRAS.........KKKKKKKKK

E a turma " Q ", de letras da UNIP, criou-se uma comunidade no ORKUT( um site de relacionamento).
Confesso que fiquei delirantemente encantado, deslumbrado, fascinado, afinal saimos da toca, do tosco, da tocaia e estamos caminhando, isso mesmo. Depois de ouví que a Academia Brasileira de Letras, é uma merda, uma bosta, um esporro mal dado, um porre mal curado, uma gozada pela metade, imagino que a felicidade total, é está em um site de relacionamento, aonde os intelectuais encontrar-se-ão, interargir-se-ão e, toda essa "pinoiada," transformar-se-á em um enorme evento literário, por que afinal de contas, eu tenho cá com os meus botões :
Quem abre fogo, críticas, pachorras, basófias, cospe verborragias, contra a Academia Brasileira de Letras, são os puritanos, ou que não chegaram até lá, ou deixa as ondas das subjetividades, navegar por entre dentes cavernosos e fugazes, em hálito de desonras, de graçolas e, outras coisitas más, que em nada contribui para o "saber", do homem que desde que é homem, busca o conhecimento, a lisura da tenuêz, que separa os inteligentes dos medíocres.
A turma "Q", sabe do que estou escrevendo.
Eu, não comungo com a ignorância, com os arroubos, com os arrôtos, com as tolices, com a politiques de palavras, com as isinuações menores e minúsculas que alguns professores proferem, apenas para demonstrar simpatia, camaradagem.....cuidado, por trás desses comportamentos, podem esconder-se um carácter autoritário, que não converge nem mesmo com o clarear do Sol ou, com a sedução da Lua....
Bem, mas parabéns...
E neste espaço quero parabenizar a Val ( uma pessoa simpatissíssima, educada, leal e atenciosa)
tal qual Renata C. Pereira, com os mesmos qualificantes citados acima, duas jovens, garotas, comprometidas com a lealdade e a educação, comprometidas com o companherismo e verdadeiras representantes da TURMA Q.
Meus amados amigos, perceberam como na figura da Val e da Renata C., não precisa de arrogância, para ser representante de classe ?
Para essa duas meninas, o meu eterno sentimento de respeito e companheirísmo.
Beijos querida, e não esqueçam que apesar de hoje ser sexta feira , a Universidade, funciona.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

VIDA VIDA VADIADA.....

A vida de estudante é assim : teem sempre aqueles que querem saber demais, teem outros, que não querem saber de nada, teem aqueles que não sabem nada, não leem nada, sobrevive do ouví dizer, do me contaram e, no final procura mamar nas têtas dos professores, imaginando que se passarem de semestres, estão apto a alguma coisa, ora cara pálida, para passar de semestre não precisa "puxar o saco, ou mamar no professor", basta esperar seis meses olhando para o calendário que tudo passará muito rapidamente.
Afinal, quem disse que somente por que frequentas, uma faculdade, isso lhe dá o epteto de "intelectual" ?
Acorda cara pálida, vá ler Florbela Espanca, Maria Tereza Horta, Drummond, Castro Alves, Gonçalves Dias, Josué Montello, Guimarães Rosas, Euclides da Cunha,.............a vida de estudante teem tantas coisas boas, essas atitudes "abobalhesca" me faz lembrar de um sábio com pensamento suburbano........
Acorda, molecada....depois reclama que não consegue emprego.
Ponto Final.
José Maria Souza Costa.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

PARA KATIA BATISTA

Bom dia, para todos, todo o dia.
Certamente você começará a rir, ao ler este texto.
Na verdade, é para rir de verdade, afinal de contas, a vida é cheia de nuances.
Às vezes sorrimos, às vezes choramos.
Por isso e, por tudo isso, ou mais que isso, quero nestas linhas homenagear com alegria ,a minha amiga Kátia Batista.
Certamente pensará, estarás ela aniversariando, nesta data ?
- Creio que não.
Será que ela vai dá uma festa ?
- Também não sei.
Será que ela é candidata, a alguma coisa nesta nossa São Paulo ?
- Não saberei dizer, assim como não sei informar se ela escolherá a vibrante Marta Suplicy, ou o boneco entupido de disface, chamando Gilberto Kassab...............
Mas, seja lá qual fôr a sua escolha, o que me interessa é que somos amigos, calculistas e, respeitadores um para com o outro. O que me vale é escrever aqui para homenagera, essa morena ( Morenasso) como me diz por MSN, Paulo César Teixeira, que senta no final da turma " Q " de Letras...na última fila.
Meu Deus ! ficamos oriçados, quando vemos aquele morenasso, adentrar a sala com um sorriso no rosto, maior que o meu desejo de felicidade, com seus cabelos propositalmente desarumados, uma pele da cor de Cacau, que Jorge Amado se vivo fosse, ressucitaria uma outra Gabriela, desta feita, mais bela, mais formosa, mais dinâmica, certamente subia muito além de um telhado, coberta apenas por um vestido de chitinha.
Kátia Batista, é mais formosa, é mais bela, causa ânsiedadenos meninos, e desassossego no espirito, dos velhinhos como este autor, que apenas alimenta a esperança de um dia poder aproximar-se e pelo menos "beijar-lhes às mãos"
Isso mesmo, assim são os desejos ávidos, dos navegates embriagados pelos mares que sacodem as ondas e balança, os barcos pequenos daqueles que aventuram-se a navegar em grandes mares, que se deixam desafiar nas aventuras, por sereias enormes, como a minha idolatrada Kátia Batista, que certamente, qualquer pintor mais hábil que eu,deixaria surgir em paredes da imaginação como se fosse uma deusa encantada e levada pelos ventos gelados que bate nos rostos agudo dos meninos e alvoraça, as carnes experientes de velhos sentimentos.
Mas a vida é mesmo assim, debuta elegancia e inspira cuidados, afinal chega uma idade, em que se faz necessário cuidar do coração e, explicar para a alma, por que os desejos afloram.
Hoje mais uma vez, Kástia Batista, adentrará por aquela porta, sacudindo os cabelos, escancarando o sorrindo, exibindo a pele e, eu ficarei embriagado com o seu desvario.
Certamente, outros no fundão da sala " Q ", imaginarão a mesma coisa.
A grande jogada nesta vida, são que as pessoas não teem donos.
Todas elas são livres e, por isso, as esperança de uma enorme alegria no dia de amanhã, sempre renascerá, assim como, toda manhã o Sol se faz por aquecer.
Eu te amo, superbonita.
Ponto final.

José Maria Souza Costa

domingo, 19 de outubro de 2008

PARA OS MEUS AMIGOS

Olá, bom dia !
Para todos um bom domingo.
Um domingo de muita luz, muita fé, muita paz, apesar da tragédia de Santo André. Podemos dizer que qualquer pastelão, com o ocorrido, não pode-se tomar como mera coincidência, bom teria sido, se todos que estiveram envolvidos e responsável pela negociação neste epsódio lamentoso, doloroso, mantivessem o equilíbrio, a paciência o bom senso.
neste instante todas as famílias choram e sofrem, e a sociedade Brasileira, apenas lamenta e tira lições.
Inusitado:
O Sequestrador, vivo e sã.
Uma vítima morta.
A segunda, certamente com sequelas psicológicas, para o resto da vida.
Pense nisto. Ponto final.
José Maria Souza Costa

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

TAMANHA INDECISÃO

Parece que todo dia é um dia de preguiça, ou para a preguiça.
Sei que o tema é divergente e disperta concordância e discordâncias imensas. As vezes para e ponho-me a perguntar:
- Por que, os alunos não querem ir à escola, ou à faculdade, se eles passam a vida inteira em cursinhos, corrente atrás de uma vaga para entrar ou à escolas ou à faculdade ? então, depois que conseguem a vaga, fazem listas e mais listas, para não comparecerem, cois estranha, não !?
- Por que , a garotada enche a paciência dos pais, para adquirir um aparelho celular, ou de telefonia móvel, como escreve os mais modernos e, derepente quuando tenta-se entrar em contato, ou não tem créditos no aparelho ou está desligado, estranho não !?
Por estes e por muitos exemplo que no dia a dia estão à nossa frente, que me ponho a indagar esse fenômeno psicótico, de comportamento que navega pela alma de quase todos os seres humanos e, irrita o bom senso e, abra-se como fosse um "boom", a desaguar pela naturalidade, daquilo que poderíamos chamar de "senso" comum.
Não estou escrevendo que o " estado de preguiça ", faça parte da relação humana, nem estou discordando, isso é sabido, mas estou propondo a análise, do comportamento das pessoas que, por tanto tempo, lutam e labutam, por um determinado tempo e depois, parece esquecer dos seus ideais......................
por que será que acontece isso ?
Me diga.
Ponto final.

José Maria Souza Costa

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

TODO SENTIMENTO DOIS

A CANÇÃO EM MAR ABERTO
NONA PARTE

TODO SENTIMENTO DOIS

Nesta noite que cai, hoje eu recito:
Que paire sobre mim a lua com toda a sua luminosidade, que ela invade a minha alma com o seu clarão, assim como ela rasga com o seu lumiar as matas virgens e embriaga com o silêncio os habitantes naturais que adormecem sem imaginar como será próximo o amanhã.
Como é sábido o amanhã será sempre uma interrogação a ser respondida, será sempre uma porta a ser destravada ou um corpo a ser despertado.
O amanhã será sempre um enorme mistério, ainda que façamos planos, mesmo que tentamos nos disciplinar, imagino que nessa vã filosofia, tudo no amanhã será uma incognita.
Como será o amanhã ? Indaga o poeta.
- Um enorme imaginário ? Responde este autor.
Eu imagino um amanhã sorridente e feliz, atrativo e muito cheio de charme.
Digamos assim, romanticamente azul.
Tomara que eu lhe encontre amanhã pelas ruas desta cidade com o sorriso estampado no rosto doidinho procurando a felicidade para a sua alma e sua vida.
Certamente será um amanhã de entretenimento e ternura.
Tomara que seja assim, essa nuvem de aconchego.
As pessoas, os amores mais próximos, esses mesmo estão sempre lhe pregando uma peça, ora essas peças fazem rir, outrora elas lhe causam desilusão.
O meu dia hoje foi de uma peça pregada.
Hoje a minha alma chorou candidamente.
Hoje a minha alma sentiu-se enganada, debilitada, estonteada, vazada e encurralada.
Hoje sinceramente imaginei que fosse fazer uma enorme festa.
Preparei um grande almoço, arrumei a mesa esperando o meu convidado e cinco minutos depois foi o bastante para o telefone tocar e ele dizer:
- Oi.
- Quem é ? Indaguei.
- Sou eu, estou lhe telefonando apenas para dizer que hoje não dá para eu ir até aí.
Mais que derepente a minha alma espatifou-se ao chão como uma fruta madura que esborracha-se na terra, despencando de uma árvore. confesso que me sentir vazio, ôco, abalado, atabalhoado,enganado, passado para trás, amplamente decepcionado.
Mas do outro lado da linha eu ouvia umna outra voz juvenil que dizia:
- Desculpe...desculpe.
Ali eu entendir a sua posição.
Não é fácil conduzir a vida, quando agente não tem uma agenda correta para conduzir essa vida.
Não é fácil conduzir a vida quando agente tem que esconder dos outros, os nossos gostos, os nossos desejos, os nossos afetos, os nossos carinhos que temos por outras pessoas. Não é fácil agendar a vida, quando temos que cotidianamente provar ao vizinho que agente vive a vida como agente quer e, jamais como ele gostaria que fosse. Não é fácil agendar a vida, quando agente antes de fazer qualquer coisa, preocupa-se primeiro com o que o vizinho da frente ou do lado vai pensar.
É fácil agendar a vida, quando criamos coragem e brilho nos olhos, na cara, na alma, no cerebro e delineamos a nossa própria vida, sem que sejamos obrigatóriamente darmos satisfação a terceiros.
É fácil agendar a vida, quando traçamos para a nossa vida uma meta, e possamos viver de bem conosco mesmo, ainda que as vezes sendo egoísta.
É fácil agendar a vida, quando paramos, raciocinamos e temos a consciência que do outro lado tem pessoas que nos ama, aceita-nos com todos os nossos defeitos e pecados, sem precisar colocarmo-nos pendurado na cruz do preconceito.
Tudo na vida é válido, o gosto, o desgosto, tudo faz parte do Sal que compõe a alma.
As vezes é preciso agente chorar, por que certamente vertendo as lágrimas, aprendemos alguma coisa, nem que seja arrumar um lenço e enssopar com a água que cai do rosto e afoga os olhos.
Ponto final

José Maria Souza Costa

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

ALÔ RENATA APARECIDA DIAS

Alô, Renata Dias, você é o grande amor da minha vida, vou matar de ciúmes o Dante e, certamente ele irá brigar com você por dor de cotovelos, tomara que ele brigue mesmo, afinal ela não sabe a poetisa que você é, a pessoa legal que você é, a criatura humana maravilhosa que és, e a primeira coisa que ele vai sentir é essa praga chamada ciúmes.
Sabes por que ?
- Por que ele não sabe o alvoroço que você causa na classe, quando adentra com seus cabelos negros soltos e, o sorriso tão largo quanto a felicidade de uma mãe, quando acaba de parir um bebê pela primeira vez.
Alô Renata Dias...
Continue assim leve, alegre, com a alma espetacularmente exagerada, sem medo de dizer o que pensa, sem medo de sorrir, de falar de revelar os seus pensamentos e suas paixões, faça como o poeta, deixe a vida carregar os seus desejos e exoplorar o seu canto e, tranbordar 0 seu talento, deixe as pedras cairem pelos caminhos carvernosos, das invejas, refúgios dos flácidos e, não esuqeça jamais que fico feliz quando me telefonas, para conversarmos coisas interessantes e coisas não interessantes, afinal a vida não foi feita para ser moldado conforme os desejos insanos dos vizinhos, que deixam a panela de arroz queimar, enquanto dão na vida de pessoas do BEM.
Tomara que tudo venha junto,
e de uma vez só, sem dor e sem rancor
tomara que chegue logo o Amor.
E o Dante ?
Faça dele mais que um parceiro, diga a ele que a vida precisa de complemento.
Eu te adoro, querida.
Voc faz parte dos meus jogos de vida.
Ponto final

José Maria Souza Costa.

OS RISOS, AS RIMAS

Os risos, as rimas......
Quase tudo confudem-se com a sua alma,
que navega de balada em bala,
como as fitas em paus de sebo,
que aceleram com os ventos, as chamas
das despedidas.
Hoje ainda é sexta feira.
Certamente um montão de gente, se é que pode-se escrever montão de gente, já começa a ficar com preguiça de trabalhar, mas vamos lá, afinal as pessoas teem razão, este é um dia vespera do sábado e, logo em seguida será o domingo,por que seguidamente depara-se com a segunda feira e, para não ficarmos com conversa fiada, para que nos serve o domingo ?
- Para deitarmos e, pensar que na segunda feira, os Bancos aguarda-nos de braços abertos para pagarmos as contas.
Pode ?
- Poder não pode, mas fazer o que ?
Qual a outra alternativa ?
Fica pra você responder, afinal hoje ainda é sexta feira, amanhã será sábado, então se franziu a testa ou deste gargalhada, espere o domingo chegar.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

PRA DEBOCHAR DE VOCÊ

A calma, a alma, a dura vida que cala
que chora, que implora por bondade.
Pode ser a mesma que chora,implora
que sofre, mas luta com sinceridade.

Todas as rimas, as liras,as sinas
e todas as fitas de tiras, delira.
Quando te ver passar, a caminhar
na direção do que nunca mira.

São as rimas das divergências
os momentos de paciência
que construiu o amor,

Mas, as mesma sapiências
que fêz-se em evidências
furtou-lhes o som e o Sabor ?

sábado, 4 de outubro de 2008

EU

Eu não gosto do bom gosto
Eu não gosto de bom senso
Eu não gosto de bons modos
Não gosto
Eu aguento até rigores
Eu não tenho pena dos traídos
Eu hospedo infratores e banidos
Eu respeito conveniências
Eu não ligo pra conchavos
Eu suporto aparências
Eu não gosto de maus tratos
Eu aguento até os modernos
E seus segundos cadernos
Eu aguento até os caretas
E suas verdades perfeitas
Eu aguento até os estetas
Eu não julgo a competência
Eu não ligo para etiqueta
Eu aplaudo rebeldias
Eu respeito tiranias
Eu compreendo piedades
Eu não condeno mentiras
Eu não condeno vaidades
Eu gosto dos que têm fome
Dos que morrem de vontade
Dos que secam de desejoDos que ardem…

Obs.:
O Felipe Teixeira ( PAULO AFONSO - BA.) envio-me e, entendí que deveria deixar aqui para as pessoas lerem.

DO LUXO AO LIXO, O OLHAR FEITO DAS JANELAS

RANA

como é belo um olhar apaixonado.
ele brilha, ele seduz , ele proclama
entre as linhas de um desejo seco,
o nome da pessoa que ama.

como é bom beijar a boca
de um amante, de uma amada .
como é bom acordar mais cedo,
depois de curado na madrugada.

como é bom puxar a lingua
de um broto novo
que não sabe o que quer .

melhor ainda é gemer na cama,
rever os lençois e buscar na fé,
o jeito meigo de ser mulher.


MESMO


eu vi a lua clarear o céu,
eu vi a noite rasgar-se em véu.
eu vi o dia deletar a sombra,
eu vi abelha mesclando mel.

eu sentir o aroma da correnteza,
eu sentir o tato na água do rio.
eu sentir na alma uma fortaleza,
eu sentir você que estava no cio.


eu quero agora um amor perene,
eu quero tudo até a alma,
eu quero teu riso docemente.

eu quero você e, a sua calma,
eu vou abrir os braços e te abraçar,
eu vou passar pro lado de lá.


UM OUTRO LADO DE UM OLHAR

com o olhar de predador ele mira a presa
abusa da plástica, da beleza e da magia
pousa como se fosse um "deus" a vela ascesa
e derrete almas aflitas por fotografias.

se a outra cara metade derrete a sua frente
ele se enfeita de "Pierrô" e abre a esperança
e como predador ataca derepente
e tão solenemente sorrir feito criança.

e delata a pupila em mar de rosas
e agrega em seu "e-mail" o meu apreço
desvaira sobre mim toda a sua prosa

e esconde a sete chaves o seu endereço
mas insistirei tanto numa só vertigem
que descobrirei na tela a sua origem.
...tomara que na vida chegue logo o amor,
...tomara que a dor se perca com o riso.
tomara que as lágrimas não fira nunca mais,
a minha alma que deslumbrada mira-te.

José Maria Souza Costa.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

VERSOS SOLTOS

Ó América... que canto suave deita mar a dentro
Que lágrima pesada exala a Mãe África
O que terás em comum, com a Negra Pátria
Que gemes tanto por matas devastadas.

Por que não cantas as canções de glórias
As de outroras, que cantavas dantes
As que pedia mais e mais vibrantes
Informes gerais d"outros teus amantes.

Pra cantar rimas deslocadas e mudas
Pra falar da noite tão serena e lume
Pra morrer de amor, como dois amantes
Que namora a lua e morre de ciúmes.

TODO SENTIMENTO

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

OITAVA PARTE.

TODO SENTIMENTO.

Ontem foi um dia de saudade para mim.
Certamente passado a tristeza, hoje será mais um dia para realizações.
O amanhã certamente eu te confesso que não saberei como será, mas de uma coisa tenho certeza amor, o sol nascerá outra vez e, sem discriminar nenhuma pessoa, brilhará para todos os gostos.
Que façamos disso uma arma e aproveitamos o brilhar do sol.
Ele aquecerá a sua alma, a sua aura e a sua vida. Como ontem foi passado, o melhor é recordar o que aconteceu de melhor, para recortarmos e guardarmos no álbum de nossa memória, a nossa "web", que bom que isso faz, cada um tem a sua individual e particular e inviolável, um "box" onde jogamos as nossas particularidades.
Isso é bom e salutar.
Eu conversava demoradamente com um amigo Panamenho via "msn", essas coisas modernosa que a tecnologia pariu e, ele me dizia:
- Não se apaixone por ninguém por que a alma pode sofrer e, de cima da minha ingenuidade, quis saber eu, como a alma sofre se as pessoas se apaixonam e, ele foi taxativo, o ser humano sofre quando quer se apaixonar, por que corre o risco de não ser correspondido.
Dei enormes gargalhadas do outro lado da mesa. Mas derepente fiquei pensando, pensando...Pode ser verdade ou não, mas que sentido terá a vida, se ela não se apaixonar por uma outra vida ?
Qual a graça terá a vida se ela perde esse patrimônio, que mexe com as emoções humanas ?
Esse sentimento que mexe com agente e aprendemos a chamar de paixão, é algo que brota do sangue, das entranhas, do fígado do basso... enfim, é um sentimento humano que nasce com agente independente do sexo.
Sabia, que já nascemos apaixonados e apaixonando ?
Tem pessoas que são apaixonadas por línguas, outras por nádegas, outras pelas cores dos olhos, outras pela boca, enfim quero afirmar que naquilo que compõe o ser humano, tudo chama a tenção, basta observarmos com detalhes aquilo que desejamos do parceiro ou parceira.
Eu, particularmente escrevendo, afirmo a todos os meus leitores que sou um apaixonado pela vida, como um todo.
Eu me apaixono fácil pelas pessoas, pela sua voz, pelo cheiro de sua pele,enfim...não deixo agonizar dentro de mim o sentimento de "desejo" e, convido todas as pessoas a fazerem o mesmo. A amarem-se, a aventurarem-se, a colocar em prática toda a sua sabedoria íntima nessa ciência que é a arte de se apaixonar.
Mas que bom, se você se apaixonar por aquilo que vale apena, pelo seu namorado, pela sua namorada, isso independe de sua opção sexual, da da etnia ou coisas menores, por que na vida o que vale é restaurar a memória do desejo, sempre. Hoje é um dia em que eu quero sair e passear a passos largos pelos longadouros, a procura das minhas amizades para sanar as paixões perdidas, deluídas e matar a saudade.
A saudade da menina "encantada" que um dia conheci e que as vezes foge de mim, mas a qual eu sou grato, por que nas horas vagas e dificéis em que passei esteve ao meu lado, com a sua alma, a sua calma fazendo-me companhia, quando eu imaginava em minha casa desenhar a solidão. Ôpa ! Perdão meu amado leitor pela expressão solidão. Na minha casa não existe solidão, até por que tenho uma grande amiga que não me faz deixar usulfluir desse sentimento, mesmo estando no paraíso do meu silêncio, basta eu deitar os dedos sobre o teclado do celular, que ela logo aparece.
É o meu anjo da guarda.
É o meu conforto sentimental.
Eu teria tudo para ser triste, afinal perdí a minha mãe, a maior riqueza que possuía, as minhas filhas neste momentos estão as três longe de mim, os meus irmãos estão todos distantes, mas ainda assim eu não baixo a guarda, procuro ser otimista, em verdade, em verdade eu sou um otimista e, tenho que ser, afinal eu preciso viver e viver bem com o corpo, alma e sorrisos escancarados.
Ponto Final.

José Maria Souza Costa

PRA NAVEGAR EM OLHOS D'ÁGUAS

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

QUINTA PARTE.

Por que os seus olhos brilham ?
Indaga o autor a um adolescente amigo.
Este apenas sorri levemente ou olha para os lados, como quem busca nos ares a resposta para os seus desejos sonhados.
Os adolescentes são todos iguais, imagino eu.
Nas vezes em que fiquei cara a cara com um adolescente... percebi o seu olhar, envolvido de esperança.
As vezes ele balbucia expressões doces e, em outras vezes expressões de arrependimento pelo que fizera ou, pelo que deixara de fazer.
As vezes deparo comigo mesmo e, fico pensando nas coisas, onde tudo parece uma enorme loucura, quando se busca do nada, algo que não encontramos em lugar nenhum.
E esse vazio de coisas e coisas que buscamos e não as encontramos, que as procuramos e não achamos e que desperta a chamada filosofia de cada um convida-nos todos a meditar sobre a vida, quer ela seja amorosa ou não, quer seja amigável ou não, quer seja social ou não, ou seja lá de que tipo for, imagino eu que temos que reciclar o nosso pensamento de coletividade, expor constantemente o nosso espírito humanitário, que somente não deve apenas servir para doar sangue ao vizinho, mas para mesclar sangue, amizade, fraternidade e confraternizar não tão somente os risos, mas o que existir de melhor neste carrocel que norteia uma canção velejante e que todos nós acostumamos a chamar de vida.E certamente a vida continua e continuará sempre plausível, mas inriquieta, travessa, aventurada e aventureira, com risos ou com sorrisos ou sem ambos...algumas magoadas, desesperadas e desesperançadas, mas mesmo assim é o mais sublime fator natural que Deus presenteou para este planeta chamado terra.
Divergente e diversificada a vida é assim.
Convergente e conectada, ela deve ser assim.
Seja lá como for a vida é precisa é ser amada.
A vida é algo divinal e caminha lado a lado, com os nossos sonhos e sentimentos, sejam eles os mais humildes, ou os mais alvoraçados,os mais polêmicos ou mais dinâmicos, isso mesmo, temos a obrigação de dosar essa chama que acende no íntimo de cada ser vivo, querele seja um "ente" racional ou inrracional.
E assim em uma constância desenrrola-se o novelo da vida e, cadea um com o seu contendo, a sua história e a sua narrativa própria.tomara que nesse deleite de bondade, de sapiência que cerca toda a vida, cada um saiba valorizar a sua.
Que a delineie de forma digna enquanto estiver sob o Sol ou navegando em uma canção a mar aberto e tenha uma influência de contentamento sob um luar de noites aquecidas pelo prazer de querer viver um eterno desejo de felicidade.
Quando tudo possa parecer azul, imagino que a vida deve parecer azul.
A vida deve ser azul e líquida,imagino assim por que é a cor do meu signo.
O signo de peixes, o melhor, o mais sensível dos signos, assim descreve este autor, com linguagem juvenil e inocente.
O meu signo é aquele que paira sobre todos os sentimentos de carinho, de afeto, de acolhida, de entretenimento e por que não dizer um signo que faz seus oriundos embriagar-se com a sedução dos seus desejos que sai da alma e, afeta os corações daqueles que se propões a viver uma vida amada, apaixonada e decantada com a lealdade humana.
Ah...Sabemos que a vida é cheia de nuances, de surpresas, de gracejos e cebos em muitas cabeças e por isso muitas vezes ela se torna monótona.
Sim, posso dizer que ela eras monótona, mas ho0je na era da "internet", nenhuma pessoa mais fica só, eu mesmo um jovem autor vou lá e descarrego na "web", meus cochixos quimerísticos e amigavéis desejos de sapiências.

José Maria Souza Costa

PRA NAMORAR, PRA TREPAR OU PRA SORRIR

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

QUARTA PARTE.

PARA QUEM TEM UM GRANDE AMOR.

Repentinamente ela surge em minha vida como se fosse uma estrela reluzente, que devora a noite com o seu brilhar e, estupra a mim com o seu clarear radiante.
Imagino que agora ela queira ser uma estrela.
Essa coisa pulgente que encanta a alma e faz delirar os poetas menores como eu, com a utopia de um dia beijar-te ao menos as pontas dos dedos da mãos.
Eu carrego essa quimera cotidianamente, desde o nascer até o pôr do sol em uma noite de verão.
E ela surge em minha casa na figura de um menino homem ou adolescente homem, que expande-se de felicidade ao deparar com o sorriso dela, isso mesmo, o excrachado riso do seu ex-amor derramando em outros braços, absorvendo outros cheiros, como se jamais estivesse esquecido um dia sequer do seu primeiro amante, do seu primeiro gozo ou da sua derradeira trepada.
O adolescente é assim: ancioso, desejoso e as vezes deslocado.
As vezes insinua que quer beijar, quando na verdade ele quer apenas trepar e, as vezes insinua que quer trepar quando na verdade ele quer mesmo é encher o saco, a paciência no ouvido da menina que um dia o iludiu dizendo que amava e, no outro abriu a blusa e protituiu-se com um outro.
O que fazer ?
E então ?
O que fazer agora ?
Ou sorrir ou chorar.
O que não pode é gargalhar eternamente no picadeiro do mesmo circo e retratar através do rosto a fisionomia do eterno palhaço.
Neste momento sei que os seus olhos brilham, reluz....sei que deves está com a mão no queixo pensando, ou com aquele sorriso sem cor e sem graças nos lábios a perguntar:
É de mim que ele está escrevendo ?
Sei lá...responde o autor.
Estou narrando o que acontece com dezenas de centenas de jovens adolescentes que procura um caminho, mas de repente pára, a deparar com a primeira cruzada que ante-põe os seus desejos e, não com bina com o seu egoísmo juvenil.
Posso dizer que:
A vida é um colosso.
Ela é uma ambragência enorme de sentimentos que caminha desde a lágrima derramada pelo adolescente, que chora por que perdeu a namorada, até o caminhar singelo e silencioso do velhinho que me seu palmar o deixa com experiências ilienável ou ao barco que lentamente navega nas águas claras de uma canção por mar aberto.
Quantas vezes as cores do arco-íris não deslumbrou o seu olhar ?
Quantos não tiveram a mente deturpada por pensamentos isanos ?
Isso mesmo, a mente a memória RAN. do computador humano. Quantos não tiveram que esconder-se atrás do seu silencio íntimo para poder sobreviver ?
Quantos nesta vida fingem-se de mortos, imaginando uma reissureição para o bem ?
Na vida é assim, um dia somos palhaços, no outro um enorme teatro a espera de um grande espetáculo.Também pudera, cada um tem o seu grande amor na vida.Eu tenho o meu, você tem o seu e, assim o cotidiano amoroso vai-se desenrrolando ao meio da humanidade como fosse um novelo de fio enorme, que une a cada um pelos nozes. E esse novelo desenrrola-se e volta pelos lábios da juventude com expressões curiosas com Ficar em vez de namorar ou trair.
O adolescente tem pavor a traição, ela o assusta tão quão os cães assustam-se com fogos de artíficios. E assim eles vão construindo o seu mundo particular, o seu próprio vocabulário, o seu linguajar íntimo e suas traduções individuais. Eu, como autor, particularmente não vou perder esse carrocel.
Sinceramente, quero está nele, dentro dele para não perder o bonde dessa revolução juvenil, que as vezes de tão pura, nem cheira a sexo, mas sim a desejos e afinidades que apenas o forro da cama e a quimica dos gemidos sabem como traduzir.

José Maria Souza Costa

METRÔ

E derepente todas as pessoas correm em direção ao Metrô, afinal é o meio de transportes mais disputado nesta nossa São Paulo, que amamos e que nos desafia a cada dia. Ali no interior do vagão agente observa pessoas de camisas vermelhas, outros de camisas azuis, homens e mulheres que empurram-se, outros que atrapalham-se e assim, nesse empurra empurra, as pessoas se esbarram, são homens que acoxam as mulheres e, nesse momento você percebe nos rostos femininos os desconforto, o constrangemento enfim, toda a saga de um povo que é tocado como se fosse gado.
Quando este veículo passa na estação Paraíso ( que de Paraíso só tem o nome),quando ele pára na estação Sé, as 18:00 horas, haja coragem para adentrar-se,e para a surpresa e alegria de todos, o condutor com aquela voz suave e elegante berra, " queiram por favor não ficar parado nas portas por que 70% dos atrasos são por que as pessoas ficam estacionados às portas".
Ora cara pálida, diria um amigo meu, se o trem está entupido, aonde é que agente vai estacionar ?
Seria bom que todos os usuarios do metrô, tivesse consciencia do constragimento e entupisse a Ouvidoria do Metrô com reclamação, por que é sabido, que o transporte em Sampa, é horrivel não por causa do usuário, mas sim, por causa da incompetência velada do poder público.
Você que é usuário do Metrô, não aceite esse acinte, escreva para a Ouvidoria e não aceite além dos Impostos, essa responsabilidade de ser culpado por o Metrô de São Paulo está saturado.

José Maria Souza Costa

PARA RIR....para meditar...PARA CONFUNDIR

CAMISOLA HISTÓRICA
Depois de 25 anos de casamento a mulher resolveu tentar resgatar o interesse do marido e vestiu a mesma camisola que usou na noite deNúpcias.

- Amo-or! - sussurrou ela, com voz 'lânguida'
- (essa voz é interessante)- Lembra dessa camisola?
O marido tirou o olho do jornal e disse:
- Sim. É a camisola que você usou na nossa lua de mel!
Por quê?
- E você lembra do que você me disse naquela noite, quando me viu comessa camisola?
- Sim, me lembro! - respondeu o marido
- Eu disse:
- 'Você está maravilhosa nessa camisola, Clarice! Quero transar com você até te deixar ACABADA!!!'
- E agora, depois de tantos anos, o que você tem a dizer?
O marido olhou a esposa de cima a baixo e disse:
- Missão cumprida !!!
Obs.:
está piada eu recebí por e-mail de " salvioleide@ig.com.br"

José Maria Souza Costa