Seguidores

Translate

quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

COMENTARIOS DA LUCIANA SANTOS

Luciana Santos
para mim

mostrar detalhes 19:13 (14 horas atrás)


Responder


Lhe desejo mais uma coisa: que a percepção das falsidades e más intenções não faça com que deixe de enxergar as boas.
Nem todos os seres humanos são ruins por natureza.
O que acontece muito é de alimentarmos mais expectativas do que as pessoas podem (ou querem) corresponder, o que não quer dizer que todos sejam maus.
Que há maldade é fato, e torço junto para que essas pessoas vejam o bem triunfar e se inspirem ao invés de tentar menosprezar, como geralmente acontece!
2008/12/30 Jose Maria Souza Costa

Agora, já não é quase mais Dezembro.

COMENTÁRIOS DE OSVALDO ODLAWSO.

Ocê sabe que eu tó fora disso tudo...

terça-feira, 30 de dezembro de 2008

A ROTINA NO MÊS DE DEZEMBRO

Agora, já não é quase mais Dezembro.
Nesta data no trigessimo dia do mês, é verdadeiramente o último dia comercial do ano.
Certamente muitas pessoas a esta hora estão a abraçar-se, outras a sorrir e muitas outras até a chorar.
O clima de final de ano é sempre muito bom.
São sorrisos falsos pra cá.
Lágrimas fingidas pra lá.
Apertos de mãos de traições por outros lugares e, assim todas as pessoas cantam neste mês de Dezembro.
Por que ?
- Por que assim, é formada a personalidade humana. As pessoas brigam o tempo inteiro, odeiam-se, prometem matar-se, esgoelar-se, mas nada mais romântico, nada mais fantasioso, nada mais galhorfoso, do que a " a manta" do fingimento que a todos enleia e sobreleia, neste período.
- Feliz Natal, diz uns.
- Feliz Ano novo, diz outros.
- Tenha um ano cheio de realizações, esta já está até batida.
Mas, é assim...e assim, agente vai passando de ano para ano, de tempos para tempos, navegando em todos os tipos de Oceanos e, deslizando nos mais diferentes Mares de personalidades, desviadas pela deformação moral daquilo que não nasceu, por que Natal, também pode significar Nascimento e, quase todos dar-se-ao, às mãos nessa hipocrisia de "Risos" e "Sorrisos".
Que todos em 2009, delineie a sua vida conforme a sua personalidade, sem fantasia,sem fingimento,com muita correria como tem que ser a vida, com muita FOFOCA, ela tem que existir, senão a vida perde a GRAÇA DIVINA e, para aqueles que estão constantemente de plantão, transvestidos de puritanos, bisbilhotando os outros, que Deus lhe deem uma vida longa, para aplaudir de pé, a Vitória das pessoas de Bem.
Ponto final
José Maria Souza Costa

COMENTÁRIOS DA GISELE VERNA

gisele verna
para mim

mostrar detalhes 19:11 (17 horas atrás)


Responder




From: Jose Maria Souza Costa
Sent: Saturday, December 06, 2008 4:41 PM
To: gigibalada@hotmail.com
Subject: [JOSÉ MARIA COSTA] CARACA

Agora é Dezembro.
Junto chega a preguiça, a vontade de não fazer-se nada, nada.
E essa vontade de não fazer nada, aumenta quando chega o final de semana, por que ao imaginar a segunda feira, dói a alma e a sensação de "pé no saco" atormenta o juízo dos "não sei lá o que ".
é como diz um amigo meu: " termina a alegria do final de semana e aparece a segunda feira toda faceira, pedindo para agente trabalhar por que as contas batem à porta pedindo liquidez".
Mas, ainda bem que tudo acontece,senão a vida seria mais ou menos assim, você escreve e aparece os puritanos metendo-se a doutores em língua portuguesa.
Porre...vai bundar.
Ponto final.
José Maria Souza Costa


kkkkkkk, GOSTEI DO VAI BUNDAR!!! TE ADOROoOoOooOo, sucesso sempre...bjs
Postado por Jose Maria Souza Costa no JOSÉ MARIA COSTA em 12/06/2008 11:34:00 AM

sábado, 20 de dezembro de 2008

MENSAGEM DE: NATAL e ANO NOVO

Meus amigos, este ano , a humanidade se reúne, para com o Espírito de confraternização, celebrar o nascimento de Jesus Cristo, o maior entretenimento da humanidade. Cada homem e cada mulher que está sobre a terra, comemora do seu jeito. Uns reúne os amigos, outros a família, mas tem aqueles que semelhante a mim , por serem sozinhos ou estarem sozinhos, comemoram na profundidade de sua alma e festejam no útero do seu sentimento.
Sabendo de tudo isso e mais um pouco, eu aproveito a oportunidade para desejar o mais fecundo espírito de amor, de confraternização, de humildade e sobretudo de humanismo e, mais que tudo isso se esestendalém desta data e que ao deslumbrar um novo ano que chega, vc e sua família tenham coragem de mudar aquilo que percebeu que não deu certo, ou aquilo que desviou de sua rota original, mas sem olhar para trás, até por que a vida não é, e jamais será um eterno retrovisor.
A vida é caminhar para frente, é avançar,é dá continuidade a seus projetos, quer seja pessoal quer seja colativo-familiar. Quer tenham ficado para trás, quer estejam eles atrasados.
Eu fico aqui, torcendo pela felicidade mil de todos os meus amigos,irmãos, sobrinhos, primos enfim, pedindo que se encontrem ou se achem,como falam os jovens e, suplicando a todos que no ano que vai chegar, que tenham muita paciência para comigo, a idade chega, agente fica mais velho, os vaidosos dizem mais "experiente" e alguns, nos acham malas, outros metidos, enfim, eu quero que cada um de vocês encotrem o Cristo no seu Caminho de Vida e acreditem que além da Beleza da Vida eu também sou o seu irmão, independente da corrente de pensamento que eu adoto, mas pela fé no Nosso Deus Vivo, aquele que, antes de Nascer, já sabia que seria o Salvador da Humanidade.
A você, que está lendo este e-mail,o meu abraço da mais pura Sinceridade e minhas letras de fidelidade.

Um Natal de muitas felicidades e
Um Ano Novo de Glória e Conquistas Mil.
Uma enorme emoção do

JOSE MARIA SOUZA COSTA


.... este brasileiro valente, insistente e que não aprendeu a desistir.
Não desista de lutar, vc também.

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Comentários do Cleilson Fernandes

Oi, meu caro amigo!


Farei comentário em breve. É uma pena que na Net também existam meliantes que, sem o que fazer, saem a poluir espaços tão importantes como os blogs.

Um abraço!

Cleilson Fernandes
Dignitatis et Fraternitatis
Arari-MA
www.cleilsonfernandes.com

domingo, 14 de dezembro de 2008

TEMPO DE MUDANÇAS

Vai chegando os últimos dia do final do ano e, por toda parte percebemos no olhar das pessoas,uma sensação de alegria, de satisfação, algo como o dever cumprido.
Evidentemente que isso vale para alguns,para outros o entusiasmo é menor,mas de qualquer maneira, tudo vale apena, até mesmo, ser feliz.
todos os dias da semana eu digo:
Tomara que chegue logo o amor.
Tomara que chegue logo a compreensão.
Tomara que todas as pessoas entendem-se, compreende-se.
as vezes não é fácil, muitas outras vezes precisa-se de intermediários, para juntar os cacos e, chegar-se a um denominador plausível.
Mas de uma coisa tenho certeza:
Amar - vale apena.
compreender o outro, vale apenas, até mesmo quando esses tais fazem da verborragia da ingnorancia o seu troféu.
Que no amanhã, os pensamentos sejam mais lúcidos e os comportamentos diversificados.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

domingo, 7 de dezembro de 2008

Comentários da VALENTINA

Valentina Costa

para mim
mostrar detalhes 27 out
Responder

Bom dia! querido, adoro te ler toda segunda a semana me chega agradavel, pode não parecer mais ler-te e maravilhoso.
Você não é meu livro de auto ajuda mais é meu amigo constante, porque me alimenta com tuas boas palavras, palavras que nos fazem levar a vida com facilidade.
Então não sou uma estudiosa constante mais sou adepta do amor, da bondade e simplicidade.
Aqui meus beijos, e meus abraços para que esta semana te chegue também repleta de felicidade e conquistas.
Sua irmã, Valentina Neta Amorim Costa

Bom dia, querido.

comentários da LUCIANNA SANTOS

Lindo!!!
Você já ouviu falar do Teatro Mágico?
Tenho a impressão de que algo muito bom sairia do seu contato com eles...
Fica a idéia.
Beijos

2008/10/13 Jose Maria Souza Costa <josemariasouzacosta@gmail.com>
A CANÇÃO EM MAR ABERTO
NONA PARTE

TODO SENTIMENTO DOIS

Comentários da Luciana Santos

Luciana Santos

para mim
mostrar detalhes 27 out
Responder

Olá!!! Posso opinar?
Já opinando:
As pessoas buscam símbolos que as qualifiquem, independente de fazerem jus a essa qualificação.
Poder falar que faz faculdade, poder mostrar que tem celular, etc.
Na prática, nem todos "usam" o conhecimento que a faculdade tem a oferecer ou a função do celular, mas TER o curso, TER o aparelho, TER a namorada, TER a informação é muito importante nas disputas sociais... No comportamento é que se percebe a importância que cada coisa tem realmente para a pessoa.
Uma pena. Tenho a esperança de que as pessoas um dia comecem a buscar o sentido de tudo isso (e encontrem).
Beijos!

2008/10/17 Jose Maria Souza Costa <josemariasouzacosta@gmail.com>
Parece que todo dia é um dia de preguiça, ou para a preguiça.
Sei que o tema é divergente e disperta concordância e discordâncias imensas. As vezes para e ponho-me a perguntar:
- Por que, os alunos não querem ir à escola, ou à faculdade, se eles passam a vida inteira em cursinhos, corrente atrás de uma vaga para entrar ou à escolas ou à faculdade ? então, depois que conseguem a vaga, fazem listas e mais listas, para não comparecerem, cois estranha, não !?
- Por que , a garotada enche a paciência dos pais, para adquirir um aparelho celular, ou de telefonia móvel, como escreve os mais modernos e, derepente quuando tenta-se entrar em contato, ou não tem créditos no aparelho ou está desligado, estranho não !?
Por estes e por muitos exemplo que no dia a dia estão à nossa frente, que me ponho a indagar esse fenômeno psicótico, de comportamento que navega pela alma de quase todos os seres humanos e, irrita o bom senso e, abra-se como fosse um "boom", a desaguar pela naturalidade, daquilo que poderíamos chamar de "senso" comum.
Não estou escrevendo que o " estado de preguiça ", faça parte da relação humana, nem estou discordando, isso é sabido, mas estou propondo a análise, do comportamento das pessoas que, por tanto tempo, lutam e labutam, por um determinado tempo e depois, parece esquecer dos seus ideais......................
por que será que acontece isso ?
Me diga.
Ponto final.

José Maria Souza Costa

sábado, 6 de dezembro de 2008

CARACA

Agora é Dezembro.
Junto chega a preguiça, a vontade de não fazer-se nada, nada.
E essa vontade de não fazer nada, aumenta quando chega o final de semana, por que ao imaginar a segunda feira, dói a alma e a sensação de "pé no saco" atormenta o juízo dos "não sei lá o que ".
é como diz um amigo meu: " termina a alegria do final de semana e aparece a segunda feira toda faceira, pedindo para agente trabalhar por que as contas batem à porta pedindo liquidez".
Mas, ainda bem que tudo acontece,senão a vida seria mais ou menos assim, você escreve e aparece os puritanos metendo-se a doutores em língua portuguesa.
Porre...vai bundar.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

Valentina Costa

para mim
mostrar detalhes 27 out
Responder

Bom dia! querido, adoro te ler toda segunda a semana me chega agradavel, pode não parecer mais ler-te e maravilhoso.
Você não é meu livro de auto ajuda mais é meu amigo constante, porque me alimenta com tuas boas palavras, palavras que nos fazem levar a vida com facilidade.
Então não sou uma estudiosa constante mais sou adepta do amor, da bondade e simplicidade.
Aqui meus beijos, e meus abraços para que esta semana te chegue também repleta de felicidade e conquistas.
Sua irmã, Valentina Neta Amorim Costa

Bom dia, querido.

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

COMENTÁRIOS DA LUCIANA SANTOS

Re: [JOSÉ MARIA COSTA] .........O GRITO SILENCIOSO........
















Luciana Santos

para mim
mostrar detalhes 00:42 (9 horas atrás)
Responder

Muito pertinente a reflexão, sempre em uma bela dança de palavras!
Por muitas vezes me vi parando pra pensar no que fazer pelos povos de rua, mas confesso que não cheguei a lugar nenhum.
Me perdia entre o assistencialismo, o medo e a ignorância de quem não conhece essa realidade de perto.
O sistema que vejo como culpado por esta situação tem seus meios de nos calar, seja por medo da morte, seja pelo medo da vida desprovida de alguns de nossos sonhos de infância, de alguns de nossos sonhos de adultos...
Acabamos pescando aqui e acolá uma justificativa - por vezes cruel - para continuar priorizando nossos próprios sonhos ao invés de lutar pela melhoria de vida alheia.
Atualmente estou promovendo o cooperativismo, que vejo como algo socialmente bom.
A despeito dos que me chamaram de louca, estou feliz por ter abrido mão de uma vaga de funcionária pública para seguir o que gosto e acredito - o cooperativismo - e não ficar entuchando produtos em pessoas que mal têm o que comer em nome do lucro de um banco (Banco do Brasil). Pedi demissão sim, e estou procurando caminhos pra viver mais de acordo com meus princípios. Sei que é apenas um começo e rezo para ter mais tempo, e para aproveitá-lo bem para dar passos mais efetivos ao longo de minha vida.
Sei que enquanto reflito muitos moradores de rua precisam de atitudes, mas diante de uma realidade tão complexa me sinto ainda uma menininha perdida. Estou tentando pelo lado do cooperativismo. Bajulando muito meus próprios sonhos, ainda, mas gastando um pouco mais de massa cinzenta pensando em como tornar esse mundo mais justo.
Assim, convido a todos que pensam em montar cooperativas a visitarem e conhecerem melhor o Sescoop - Sistema Nacional de Aprendizagem Cooperativista. Penso ser uma alternativa. Discutamos saberes, discutamos alternativas!
Boa noite!
2008/10/27 Jose Maria Souza Costa <josemariasouzacosta@gmail.com>

O GRITO SILENCIOSO

Um grito silencioso deixa de ser metáfora, e passa a conviver cotidianamente, lado a lado com uma camada social quase sem amparo, sem voz, sem vez, sem direção, sem rumo e, que tem apenas as "ruas", como identidade.
Isso mesmo, as "ruas" como endereço de moradia.
São pessoas estas, à orla da cidadania, por favor não queira confundir com " falta de dignidade". O grito silencioso existe e, só existe por que fere e dói naquilo que o ser humano, quer seja pobre, quer seja rico, quer seja necessitado, quer seja ele abastardo, quer seja negro ou branco, albergado ou condominizado, empregado ou desempregado...enfim, ele ataca o essencial dessas pessoas, a alma humana.
Evidetemente que não precisa ser sociólogo para falar ou escrever sobre disparidade social, neste País continental, de diferenças enormes e preconceitos mil. São valores que não adquirimos em bancos escolares, nem nas ruas e muito menos enclausurados e deleitando-se pelas vias palacianas. O espirito humanitário, você traz consigo desde o nascimento, vou mais além, desde a concepção e o conduz até o último suspirar.
Alguém lhe empurra para a situação de rua. Certamente ninguém quer viver em uma situação desagradável dessa, isso não é correto, não é salutar e humanamente escrevendo é doloroso. Todos nós queremos um teto, uma cama, um lençol para embrulharmos nas noites frias e geladas como são as de São Paulo, nos dias de inverno. Todos queremos após o cansaço, tomar um banho morno e depois deitar e depois dormir e sonhar. Isso mesmo, sonhar com esse carocel que gira e ruma na direção dos sonhos ilimitados que todos chamamos de vida e delata rumo a perigrinação dos caminhos diferentes que todos acostumamos a chamar de relacionamento ou de amizade.
Amizade - é algo singular, cada um tem a sua. Cada um a alimenta da maneira que bem entender e faz dela a ponte que achar suficiente para estreitar, para encolher esse relacionamento.
O ser humano em situação de rua, está exposto por "ennes" motivos e, quase não encontra ajuda para sair desse poço sem fundo, um verdadeiro saco sem costura.
Pergunta-se:
O que está sendo feito de verdade, para aquilo que os intelectuais chama de "Reiserção Social", dessas pessoas ? Se raciocinarmos um pouco, quase nada, ou muito pouco é feito. O que existe são "assistencialismo" patrocinados por "ONGs" ( organizações não governamentais), que simplesmente "entope" o estomago dessas pessoas durante á noite, serve um café "amornado" ao amanhecer e, depois os solta portão afora.
Mas você dirá:
- Isso é bom, mata a fome das pessoas.
Eu não estou escevendo que seja ruim ou que seja bom, que eu seja contra ou que eu seja favorável, o que eu quero é lhe convidar para refletirmos juntos, se não dá para fazer mais e mais, por esses povos de rua...por que, além de doar um simples marmitex com comida, um chinelo velho e usado, umpar de sapato velho, usado e maior que o pé do necessitado, acompanhado de um par de meia furado e sobretudo uma de cada cor, que tal humanizar o nosso espirito e, não dividir as dores com os povos de rua, mas solidarizarmos, para que esses mesmos povos se sintam acolhidos em uma sociedade irmanada na Cristandade.
Todos podemos lhes dá, mais que um boné para cobrir-lhes a cabeça, deveriam lhes dá um Curso de Capacitação Profissional gratuitamente no Senai ou no Senac, que são Escolas Profissionalizantes. Deveríam-lhes dá Estágios em empresas conveniadas com os governos, Federal, Estadual e Municipal. Deveríam-lhes dá, Escolas e Cursinhos, tudo gratuitamente...enfim deveriam lutar com toda a Sabedoria para que as pessoas não sobrevivessem e nem retornassem à " situação de Rua".
No fundo, no fundo, nenhuma pessoa quer viver perambulando pelas ruas das Metrópoles e ainda que exista aqueles que digam que gostam,, são os que perderam o Autoestima de uma moradia salutar, de um Lar e da Companhia da sua Família.
Faz-se necessário, resgatar esses vsalores humano, fazer resurgir e tangi-lo, na direção do convívio dos povos irmanados com a vida. Eu escrevo civilizado, no sentido de: desemvolvido, conciliador e respeitador.
É bom saber que os povos em "situação de rua" tem nome, tem vez, tem voz. A maioria pensa e se organiza, logo eles teem VOTOS, são chamados a emetir opinião através das URNAS, e mesmo sendo na maioria das vezes lhes negada, todos eles possuem CIDADANIA.

NOTA:
este texto foi publicado em 2005, no Jornal " O GRITO SILENCIOSO", sob o título "Caçador de Mim", mas somente nesta data, quis estampar em meu Blog.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

.........O GRITO SILENCIOSO........

Um grito silencioso deixa de ser matáfora, e passa a conviver cotidianamente, lado a lado com uma camada social quase sem amparo, sem voz, sem vez, sem direção, sem rumo e, que tem apenas as "ruas", como identidade.
Isso mesmo, as "ruas" como endereço de moradia.
São pessoas estas, à orla da cidadania, por favor não queira confundir com " falta de dignidade". O grito silencioso existe e, só existe por que fere e dói naquilo que o ser humano, quer seja pobre, quer seja rico, quer seja necessitadoi, quer seja ele abastardo, quer seja negro ou branco, albergado ou condominizado, empregado ou desempregado...enfim, ele ataca o essencial dessas pessoas, a alma humana.
Evidetemente que não precisa ser sociólogo para falar ou escrver sobre disparidade social, neste País continental, de diferenças enormes e preconceitos mil. São valores que não adquirimos em bancos escolares, nem nas ruas e muito menos enclausurados e deleitando-se pelas vias palacianas. O espirito humanitário, você traz consigo desde o nascimento, vou mais além, desde a concepção e o conduz até o último suspirar.
Alguém lhe empurra para a situação de rua. Certamente ninguém quer viver em uma situação desagradável dessa, isso não é correto, não é salutar e humanamente escrevendo é doloros. Todos nós queremos um teto, uma cama, um lençol para embrulharmos nas noites frias e geladas como são as de São Paulo, nos dias de inverno. todos queremos após o cansaço, tomar um banho morno e depois deitar e depois dormir e sonhar. Isso mesmo, sonhar com esse carocel que gira e ruma na direção dos sonhos ilimitados que todos chamamos de vida e delata rumo a perigrinação dos caminhos diferentes que todos acostumamos a chamar de relacionamento ou de amizade.
Amizade - é algo singular, cada um tem a sua. Cada um a alimenta da maneira que bem entender e faz dela a ponte que achar suficiente para estreitar, para encolher esse relacionamento.
O ser humano em situação de rua, está exposto por "ennes" motivos e, quase não encontra ajuda para sair desse poço sem fundo, um verdadeiro saco sem costura.
Pergunta-se:
O que está sendo feito de verdade, para aquilo que os intelectuais chama de "Reiserção Social", dessas pessoas ? Se raciocinarmos um pouco, quase nada, ou muito pouco é feito. O que existe são "assistencialismo" patrocinados por "ONGs" ( organizações não governamentais), que simplesmente "entope" o estomago dessas pessoas durante á noite, serve um café "amornado" ao amanhecer e, depois os solta portão afora.
Mas você dirá:
- Isso é bom, mata a fome das pessoas.
Eu não estou escevendo que seja ruim ou que seja bom, que eu seja contra ou que eu seja favorável, o que eu quero é lhe convidar para refletirmos juntos, se não dá para fazer mais e mais, por esses povos de rua...por que, além de doar um simples marmitex com comida, um chinelo velho e usado, umpar de sapato velho, usado e maior que o pé do necessitado, acompanhado de um par de meia furado e sobretudo uma de cada cor, que tal humanizar o nosso espirito e, não dividir as dores com os povos de rua, mas solidarizarmos, para que esses mesmos povos se sintam acolhidos em uma sociedade irmanada na Cristandade.
Todos podemos lhes dá, mais que um boné para cobrir-lhes a cabeça, deveriam lhes dá um Curso de Capacitação Profissional gratuitamente no Senai ou no Senac, que são Escolas Profissionalizantes. Deveríam-lhes dá Estágios em empresas conveniadas com os governos, Federal, Estadual e Municipal. Deveríam-lhes dá, Escolas e Cursinhos, tudo gratuitamente...enfim deveriam lutar com toda a Sabedoria para que as pessoas não sobrevivessem e nem retornassem à " situação de Rua".
No fundo, no fundo, nenhuma pessoa quer viver perambulando pelas ruas das Metrópoles e ainda que exista aqueles que digam que gostam,, são os que perderam o Autoestima de uma moradia salutar, de um Lar e da Companhia da sua Família.
Faz-se necessário, resgatar esses vsalores humano, fazer resurgir e tangi-lo, na direção do convívio dos povos irmanados com a vida. Eu escrevo civilizado, no sentido de: desemvolvido, conciliador e respeitador.
É bom saber que os povos em "situação de rua" tem nome, tem vez, tem voz. A maioria pensa e se organiza, logo eles teem VOTOS, são chamados a emetir opinião através das URNAS, e mesmo sendo na maioria das vezes lhes negada, todos eles possuem CIDADANIA.

NOTA:
este texto foi publicado em 2005, no Jornal " O GRITO SILENCIOSO", sob o título "Caçador de Mim", mas somente nesta data, quis estampar em meu Blog.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

A COMUNIDADE DA TURMA " Q" NO ORKUT ( site de relacionamento ) NADA DE ACADEMIA DE LETRAS.........KKKKKKKKK

E a turma " Q ", de letras da UNIP, criou-se uma comunidade no ORKUT( um site de relacionamento).
Confesso que fiquei delirantemente encantado, deslumbrado, fascinado, afinal saimos da toca, do tosco, da tocaia e estamos caminhando, isso mesmo. Depois de ouví que a Academia Brasileira de Letras, é uma merda, uma bosta, um esporro mal dado, um porre mal curado, uma gozada pela metade, imagino que a felicidade total, é está em um site de relacionamento, aonde os intelectuais encontrar-se-ão, interargir-se-ão e, toda essa "pinoiada," transformar-se-á em um enorme evento literário, por que afinal de contas, eu tenho cá com os meus botões :
Quem abre fogo, críticas, pachorras, basófias, cospe verborragias, contra a Academia Brasileira de Letras, são os puritanos, ou que não chegaram até lá, ou deixa as ondas das subjetividades, navegar por entre dentes cavernosos e fugazes, em hálito de desonras, de graçolas e, outras coisitas más, que em nada contribui para o "saber", do homem que desde que é homem, busca o conhecimento, a lisura da tenuêz, que separa os inteligentes dos medíocres.
A turma "Q", sabe do que estou escrevendo.
Eu, não comungo com a ignorância, com os arroubos, com os arrôtos, com as tolices, com a politiques de palavras, com as isinuações menores e minúsculas que alguns professores proferem, apenas para demonstrar simpatia, camaradagem.....cuidado, por trás desses comportamentos, podem esconder-se um carácter autoritário, que não converge nem mesmo com o clarear do Sol ou, com a sedução da Lua....
Bem, mas parabéns...
E neste espaço quero parabenizar a Val ( uma pessoa simpatissíssima, educada, leal e atenciosa)
tal qual Renata C. Pereira, com os mesmos qualificantes citados acima, duas jovens, garotas, comprometidas com a lealdade e a educação, comprometidas com o companherismo e verdadeiras representantes da TURMA Q.
Meus amados amigos, perceberam como na figura da Val e da Renata C., não precisa de arrogância, para ser representante de classe ?
Para essa duas meninas, o meu eterno sentimento de respeito e companheirísmo.
Beijos querida, e não esqueçam que apesar de hoje ser sexta feira , a Universidade, funciona.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

VIDA VIDA VADIADA.....

A vida de estudante é assim : teem sempre aqueles que querem saber demais, teem outros, que não querem saber de nada, teem aqueles que não sabem nada, não leem nada, sobrevive do ouví dizer, do me contaram e, no final procura mamar nas têtas dos professores, imaginando que se passarem de semestres, estão apto a alguma coisa, ora cara pálida, para passar de semestre não precisa "puxar o saco, ou mamar no professor", basta esperar seis meses olhando para o calendário que tudo passará muito rapidamente.
Afinal, quem disse que somente por que frequentas, uma faculdade, isso lhe dá o epteto de "intelectual" ?
Acorda cara pálida, vá ler Florbela Espanca, Maria Tereza Horta, Drummond, Castro Alves, Gonçalves Dias, Josué Montello, Guimarães Rosas, Euclides da Cunha,.............a vida de estudante teem tantas coisas boas, essas atitudes "abobalhesca" me faz lembrar de um sábio com pensamento suburbano........
Acorda, molecada....depois reclama que não consegue emprego.
Ponto Final.
José Maria Souza Costa.

terça-feira, 21 de outubro de 2008

PARA KATIA BATISTA

Bom dia, para todos, todo o dia.
Certamente você começará a rir, ao ler este texto.
Na verdade, é para rir de verdade, afinal de contas, a vida é cheia de nuances.
Às vezes sorrimos, às vezes choramos.
Por isso e, por tudo isso, ou mais que isso, quero nestas linhas homenagear com alegria ,a minha amiga Kátia Batista.
Certamente pensará, estarás ela aniversariando, nesta data ?
- Creio que não.
Será que ela vai dá uma festa ?
- Também não sei.
Será que ela é candidata, a alguma coisa nesta nossa São Paulo ?
- Não saberei dizer, assim como não sei informar se ela escolherá a vibrante Marta Suplicy, ou o boneco entupido de disface, chamando Gilberto Kassab...............
Mas, seja lá qual fôr a sua escolha, o que me interessa é que somos amigos, calculistas e, respeitadores um para com o outro. O que me vale é escrever aqui para homenagera, essa morena ( Morenasso) como me diz por MSN, Paulo César Teixeira, que senta no final da turma " Q " de Letras...na última fila.
Meu Deus ! ficamos oriçados, quando vemos aquele morenasso, adentrar a sala com um sorriso no rosto, maior que o meu desejo de felicidade, com seus cabelos propositalmente desarumados, uma pele da cor de Cacau, que Jorge Amado se vivo fosse, ressucitaria uma outra Gabriela, desta feita, mais bela, mais formosa, mais dinâmica, certamente subia muito além de um telhado, coberta apenas por um vestido de chitinha.
Kátia Batista, é mais formosa, é mais bela, causa ânsiedadenos meninos, e desassossego no espirito, dos velhinhos como este autor, que apenas alimenta a esperança de um dia poder aproximar-se e pelo menos "beijar-lhes às mãos"
Isso mesmo, assim são os desejos ávidos, dos navegates embriagados pelos mares que sacodem as ondas e balança, os barcos pequenos daqueles que aventuram-se a navegar em grandes mares, que se deixam desafiar nas aventuras, por sereias enormes, como a minha idolatrada Kátia Batista, que certamente, qualquer pintor mais hábil que eu,deixaria surgir em paredes da imaginação como se fosse uma deusa encantada e levada pelos ventos gelados que bate nos rostos agudo dos meninos e alvoraça, as carnes experientes de velhos sentimentos.
Mas a vida é mesmo assim, debuta elegancia e inspira cuidados, afinal chega uma idade, em que se faz necessário cuidar do coração e, explicar para a alma, por que os desejos afloram.
Hoje mais uma vez, Kástia Batista, adentrará por aquela porta, sacudindo os cabelos, escancarando o sorrindo, exibindo a pele e, eu ficarei embriagado com o seu desvario.
Certamente, outros no fundão da sala " Q ", imaginarão a mesma coisa.
A grande jogada nesta vida, são que as pessoas não teem donos.
Todas elas são livres e, por isso, as esperança de uma enorme alegria no dia de amanhã, sempre renascerá, assim como, toda manhã o Sol se faz por aquecer.
Eu te amo, superbonita.
Ponto final.

José Maria Souza Costa

domingo, 19 de outubro de 2008

PARA OS MEUS AMIGOS

Olá, bom dia !
Para todos um bom domingo.
Um domingo de muita luz, muita fé, muita paz, apesar da tragédia de Santo André. Podemos dizer que qualquer pastelão, com o ocorrido, não pode-se tomar como mera coincidência, bom teria sido, se todos que estiveram envolvidos e responsável pela negociação neste epsódio lamentoso, doloroso, mantivessem o equilíbrio, a paciência o bom senso.
neste instante todas as famílias choram e sofrem, e a sociedade Brasileira, apenas lamenta e tira lições.
Inusitado:
O Sequestrador, vivo e sã.
Uma vítima morta.
A segunda, certamente com sequelas psicológicas, para o resto da vida.
Pense nisto. Ponto final.
José Maria Souza Costa

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

TAMANHA INDECISÃO

Parece que todo dia é um dia de preguiça, ou para a preguiça.
Sei que o tema é divergente e disperta concordância e discordâncias imensas. As vezes para e ponho-me a perguntar:
- Por que, os alunos não querem ir à escola, ou à faculdade, se eles passam a vida inteira em cursinhos, corrente atrás de uma vaga para entrar ou à escolas ou à faculdade ? então, depois que conseguem a vaga, fazem listas e mais listas, para não comparecerem, cois estranha, não !?
- Por que , a garotada enche a paciência dos pais, para adquirir um aparelho celular, ou de telefonia móvel, como escreve os mais modernos e, derepente quuando tenta-se entrar em contato, ou não tem créditos no aparelho ou está desligado, estranho não !?
Por estes e por muitos exemplo que no dia a dia estão à nossa frente, que me ponho a indagar esse fenômeno psicótico, de comportamento que navega pela alma de quase todos os seres humanos e, irrita o bom senso e, abra-se como fosse um "boom", a desaguar pela naturalidade, daquilo que poderíamos chamar de "senso" comum.
Não estou escrevendo que o " estado de preguiça ", faça parte da relação humana, nem estou discordando, isso é sabido, mas estou propondo a análise, do comportamento das pessoas que, por tanto tempo, lutam e labutam, por um determinado tempo e depois, parece esquecer dos seus ideais......................
por que será que acontece isso ?
Me diga.
Ponto final.

José Maria Souza Costa

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

TODO SENTIMENTO DOIS

A CANÇÃO EM MAR ABERTO
NONA PARTE

TODO SENTIMENTO DOIS

Nesta noite que cai, hoje eu recito:
Que paire sobre mim a lua com toda a sua luminosidade, que ela invade a minha alma com o seu clarão, assim como ela rasga com o seu lumiar as matas virgens e embriaga com o silêncio os habitantes naturais que adormecem sem imaginar como será próximo o amanhã.
Como é sábido o amanhã será sempre uma interrogação a ser respondida, será sempre uma porta a ser destravada ou um corpo a ser despertado.
O amanhã será sempre um enorme mistério, ainda que façamos planos, mesmo que tentamos nos disciplinar, imagino que nessa vã filosofia, tudo no amanhã será uma incognita.
Como será o amanhã ? Indaga o poeta.
- Um enorme imaginário ? Responde este autor.
Eu imagino um amanhã sorridente e feliz, atrativo e muito cheio de charme.
Digamos assim, romanticamente azul.
Tomara que eu lhe encontre amanhã pelas ruas desta cidade com o sorriso estampado no rosto doidinho procurando a felicidade para a sua alma e sua vida.
Certamente será um amanhã de entretenimento e ternura.
Tomara que seja assim, essa nuvem de aconchego.
As pessoas, os amores mais próximos, esses mesmo estão sempre lhe pregando uma peça, ora essas peças fazem rir, outrora elas lhe causam desilusão.
O meu dia hoje foi de uma peça pregada.
Hoje a minha alma chorou candidamente.
Hoje a minha alma sentiu-se enganada, debilitada, estonteada, vazada e encurralada.
Hoje sinceramente imaginei que fosse fazer uma enorme festa.
Preparei um grande almoço, arrumei a mesa esperando o meu convidado e cinco minutos depois foi o bastante para o telefone tocar e ele dizer:
- Oi.
- Quem é ? Indaguei.
- Sou eu, estou lhe telefonando apenas para dizer que hoje não dá para eu ir até aí.
Mais que derepente a minha alma espatifou-se ao chão como uma fruta madura que esborracha-se na terra, despencando de uma árvore. confesso que me sentir vazio, ôco, abalado, atabalhoado,enganado, passado para trás, amplamente decepcionado.
Mas do outro lado da linha eu ouvia umna outra voz juvenil que dizia:
- Desculpe...desculpe.
Ali eu entendir a sua posição.
Não é fácil conduzir a vida, quando agente não tem uma agenda correta para conduzir essa vida.
Não é fácil conduzir a vida quando agente tem que esconder dos outros, os nossos gostos, os nossos desejos, os nossos afetos, os nossos carinhos que temos por outras pessoas. Não é fácil agendar a vida, quando temos que cotidianamente provar ao vizinho que agente vive a vida como agente quer e, jamais como ele gostaria que fosse. Não é fácil agendar a vida, quando agente antes de fazer qualquer coisa, preocupa-se primeiro com o que o vizinho da frente ou do lado vai pensar.
É fácil agendar a vida, quando criamos coragem e brilho nos olhos, na cara, na alma, no cerebro e delineamos a nossa própria vida, sem que sejamos obrigatóriamente darmos satisfação a terceiros.
É fácil agendar a vida, quando traçamos para a nossa vida uma meta, e possamos viver de bem conosco mesmo, ainda que as vezes sendo egoísta.
É fácil agendar a vida, quando paramos, raciocinamos e temos a consciência que do outro lado tem pessoas que nos ama, aceita-nos com todos os nossos defeitos e pecados, sem precisar colocarmo-nos pendurado na cruz do preconceito.
Tudo na vida é válido, o gosto, o desgosto, tudo faz parte do Sal que compõe a alma.
As vezes é preciso agente chorar, por que certamente vertendo as lágrimas, aprendemos alguma coisa, nem que seja arrumar um lenço e enssopar com a água que cai do rosto e afoga os olhos.
Ponto final

José Maria Souza Costa

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

ALÔ RENATA APARECIDA DIAS

Alô, Renata Dias, você é o grande amor da minha vida, vou matar de ciúmes o Dante e, certamente ele irá brigar com você por dor de cotovelos, tomara que ele brigue mesmo, afinal ela não sabe a poetisa que você é, a pessoa legal que você é, a criatura humana maravilhosa que és, e a primeira coisa que ele vai sentir é essa praga chamada ciúmes.
Sabes por que ?
- Por que ele não sabe o alvoroço que você causa na classe, quando adentra com seus cabelos negros soltos e, o sorriso tão largo quanto a felicidade de uma mãe, quando acaba de parir um bebê pela primeira vez.
Alô Renata Dias...
Continue assim leve, alegre, com a alma espetacularmente exagerada, sem medo de dizer o que pensa, sem medo de sorrir, de falar de revelar os seus pensamentos e suas paixões, faça como o poeta, deixe a vida carregar os seus desejos e exoplorar o seu canto e, tranbordar 0 seu talento, deixe as pedras cairem pelos caminhos carvernosos, das invejas, refúgios dos flácidos e, não esuqeça jamais que fico feliz quando me telefonas, para conversarmos coisas interessantes e coisas não interessantes, afinal a vida não foi feita para ser moldado conforme os desejos insanos dos vizinhos, que deixam a panela de arroz queimar, enquanto dão na vida de pessoas do BEM.
Tomara que tudo venha junto,
e de uma vez só, sem dor e sem rancor
tomara que chegue logo o Amor.
E o Dante ?
Faça dele mais que um parceiro, diga a ele que a vida precisa de complemento.
Eu te adoro, querida.
Voc faz parte dos meus jogos de vida.
Ponto final

José Maria Souza Costa.

OS RISOS, AS RIMAS

Os risos, as rimas......
Quase tudo confudem-se com a sua alma,
que navega de balada em bala,
como as fitas em paus de sebo,
que aceleram com os ventos, as chamas
das despedidas.
Hoje ainda é sexta feira.
Certamente um montão de gente, se é que pode-se escrever montão de gente, já começa a ficar com preguiça de trabalhar, mas vamos lá, afinal as pessoas teem razão, este é um dia vespera do sábado e, logo em seguida será o domingo,por que seguidamente depara-se com a segunda feira e, para não ficarmos com conversa fiada, para que nos serve o domingo ?
- Para deitarmos e, pensar que na segunda feira, os Bancos aguarda-nos de braços abertos para pagarmos as contas.
Pode ?
- Poder não pode, mas fazer o que ?
Qual a outra alternativa ?
Fica pra você responder, afinal hoje ainda é sexta feira, amanhã será sábado, então se franziu a testa ou deste gargalhada, espere o domingo chegar.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

PRA DEBOCHAR DE VOCÊ

A calma, a alma, a dura vida que cala
que chora, que implora por bondade.
Pode ser a mesma que chora,implora
que sofre, mas luta com sinceridade.

Todas as rimas, as liras,as sinas
e todas as fitas de tiras, delira.
Quando te ver passar, a caminhar
na direção do que nunca mira.

São as rimas das divergências
os momentos de paciência
que construiu o amor,

Mas, as mesma sapiências
que fêz-se em evidências
furtou-lhes o som e o Sabor ?

sábado, 4 de outubro de 2008

EU

Eu não gosto do bom gosto
Eu não gosto de bom senso
Eu não gosto de bons modos
Não gosto
Eu aguento até rigores
Eu não tenho pena dos traídos
Eu hospedo infratores e banidos
Eu respeito conveniências
Eu não ligo pra conchavos
Eu suporto aparências
Eu não gosto de maus tratos
Eu aguento até os modernos
E seus segundos cadernos
Eu aguento até os caretas
E suas verdades perfeitas
Eu aguento até os estetas
Eu não julgo a competência
Eu não ligo para etiqueta
Eu aplaudo rebeldias
Eu respeito tiranias
Eu compreendo piedades
Eu não condeno mentiras
Eu não condeno vaidades
Eu gosto dos que têm fome
Dos que morrem de vontade
Dos que secam de desejoDos que ardem…

Obs.:
O Felipe Teixeira ( PAULO AFONSO - BA.) envio-me e, entendí que deveria deixar aqui para as pessoas lerem.

DO LUXO AO LIXO, O OLHAR FEITO DAS JANELAS

RANA

como é belo um olhar apaixonado.
ele brilha, ele seduz , ele proclama
entre as linhas de um desejo seco,
o nome da pessoa que ama.

como é bom beijar a boca
de um amante, de uma amada .
como é bom acordar mais cedo,
depois de curado na madrugada.

como é bom puxar a lingua
de um broto novo
que não sabe o que quer .

melhor ainda é gemer na cama,
rever os lençois e buscar na fé,
o jeito meigo de ser mulher.


MESMO


eu vi a lua clarear o céu,
eu vi a noite rasgar-se em véu.
eu vi o dia deletar a sombra,
eu vi abelha mesclando mel.

eu sentir o aroma da correnteza,
eu sentir o tato na água do rio.
eu sentir na alma uma fortaleza,
eu sentir você que estava no cio.


eu quero agora um amor perene,
eu quero tudo até a alma,
eu quero teu riso docemente.

eu quero você e, a sua calma,
eu vou abrir os braços e te abraçar,
eu vou passar pro lado de lá.


UM OUTRO LADO DE UM OLHAR

com o olhar de predador ele mira a presa
abusa da plástica, da beleza e da magia
pousa como se fosse um "deus" a vela ascesa
e derrete almas aflitas por fotografias.

se a outra cara metade derrete a sua frente
ele se enfeita de "Pierrô" e abre a esperança
e como predador ataca derepente
e tão solenemente sorrir feito criança.

e delata a pupila em mar de rosas
e agrega em seu "e-mail" o meu apreço
desvaira sobre mim toda a sua prosa

e esconde a sete chaves o seu endereço
mas insistirei tanto numa só vertigem
que descobrirei na tela a sua origem.
...tomara que na vida chegue logo o amor,
...tomara que a dor se perca com o riso.
tomara que as lágrimas não fira nunca mais,
a minha alma que deslumbrada mira-te.

José Maria Souza Costa.

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

VERSOS SOLTOS

Ó América... que canto suave deita mar a dentro
Que lágrima pesada exala a Mãe África
O que terás em comum, com a Negra Pátria
Que gemes tanto por matas devastadas.

Por que não cantas as canções de glórias
As de outroras, que cantavas dantes
As que pedia mais e mais vibrantes
Informes gerais d"outros teus amantes.

Pra cantar rimas deslocadas e mudas
Pra falar da noite tão serena e lume
Pra morrer de amor, como dois amantes
Que namora a lua e morre de ciúmes.

TODO SENTIMENTO

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

OITAVA PARTE.

TODO SENTIMENTO.

Ontem foi um dia de saudade para mim.
Certamente passado a tristeza, hoje será mais um dia para realizações.
O amanhã certamente eu te confesso que não saberei como será, mas de uma coisa tenho certeza amor, o sol nascerá outra vez e, sem discriminar nenhuma pessoa, brilhará para todos os gostos.
Que façamos disso uma arma e aproveitamos o brilhar do sol.
Ele aquecerá a sua alma, a sua aura e a sua vida. Como ontem foi passado, o melhor é recordar o que aconteceu de melhor, para recortarmos e guardarmos no álbum de nossa memória, a nossa "web", que bom que isso faz, cada um tem a sua individual e particular e inviolável, um "box" onde jogamos as nossas particularidades.
Isso é bom e salutar.
Eu conversava demoradamente com um amigo Panamenho via "msn", essas coisas modernosa que a tecnologia pariu e, ele me dizia:
- Não se apaixone por ninguém por que a alma pode sofrer e, de cima da minha ingenuidade, quis saber eu, como a alma sofre se as pessoas se apaixonam e, ele foi taxativo, o ser humano sofre quando quer se apaixonar, por que corre o risco de não ser correspondido.
Dei enormes gargalhadas do outro lado da mesa. Mas derepente fiquei pensando, pensando...Pode ser verdade ou não, mas que sentido terá a vida, se ela não se apaixonar por uma outra vida ?
Qual a graça terá a vida se ela perde esse patrimônio, que mexe com as emoções humanas ?
Esse sentimento que mexe com agente e aprendemos a chamar de paixão, é algo que brota do sangue, das entranhas, do fígado do basso... enfim, é um sentimento humano que nasce com agente independente do sexo.
Sabia, que já nascemos apaixonados e apaixonando ?
Tem pessoas que são apaixonadas por línguas, outras por nádegas, outras pelas cores dos olhos, outras pela boca, enfim quero afirmar que naquilo que compõe o ser humano, tudo chama a tenção, basta observarmos com detalhes aquilo que desejamos do parceiro ou parceira.
Eu, particularmente escrevendo, afirmo a todos os meus leitores que sou um apaixonado pela vida, como um todo.
Eu me apaixono fácil pelas pessoas, pela sua voz, pelo cheiro de sua pele,enfim...não deixo agonizar dentro de mim o sentimento de "desejo" e, convido todas as pessoas a fazerem o mesmo. A amarem-se, a aventurarem-se, a colocar em prática toda a sua sabedoria íntima nessa ciência que é a arte de se apaixonar.
Mas que bom, se você se apaixonar por aquilo que vale apena, pelo seu namorado, pela sua namorada, isso independe de sua opção sexual, da da etnia ou coisas menores, por que na vida o que vale é restaurar a memória do desejo, sempre. Hoje é um dia em que eu quero sair e passear a passos largos pelos longadouros, a procura das minhas amizades para sanar as paixões perdidas, deluídas e matar a saudade.
A saudade da menina "encantada" que um dia conheci e que as vezes foge de mim, mas a qual eu sou grato, por que nas horas vagas e dificéis em que passei esteve ao meu lado, com a sua alma, a sua calma fazendo-me companhia, quando eu imaginava em minha casa desenhar a solidão. Ôpa ! Perdão meu amado leitor pela expressão solidão. Na minha casa não existe solidão, até por que tenho uma grande amiga que não me faz deixar usulfluir desse sentimento, mesmo estando no paraíso do meu silêncio, basta eu deitar os dedos sobre o teclado do celular, que ela logo aparece.
É o meu anjo da guarda.
É o meu conforto sentimental.
Eu teria tudo para ser triste, afinal perdí a minha mãe, a maior riqueza que possuía, as minhas filhas neste momentos estão as três longe de mim, os meus irmãos estão todos distantes, mas ainda assim eu não baixo a guarda, procuro ser otimista, em verdade, em verdade eu sou um otimista e, tenho que ser, afinal eu preciso viver e viver bem com o corpo, alma e sorrisos escancarados.
Ponto Final.

José Maria Souza Costa

PRA NAVEGAR EM OLHOS D'ÁGUAS

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

QUINTA PARTE.

Por que os seus olhos brilham ?
Indaga o autor a um adolescente amigo.
Este apenas sorri levemente ou olha para os lados, como quem busca nos ares a resposta para os seus desejos sonhados.
Os adolescentes são todos iguais, imagino eu.
Nas vezes em que fiquei cara a cara com um adolescente... percebi o seu olhar, envolvido de esperança.
As vezes ele balbucia expressões doces e, em outras vezes expressões de arrependimento pelo que fizera ou, pelo que deixara de fazer.
As vezes deparo comigo mesmo e, fico pensando nas coisas, onde tudo parece uma enorme loucura, quando se busca do nada, algo que não encontramos em lugar nenhum.
E esse vazio de coisas e coisas que buscamos e não as encontramos, que as procuramos e não achamos e que desperta a chamada filosofia de cada um convida-nos todos a meditar sobre a vida, quer ela seja amorosa ou não, quer seja amigável ou não, quer seja social ou não, ou seja lá de que tipo for, imagino eu que temos que reciclar o nosso pensamento de coletividade, expor constantemente o nosso espírito humanitário, que somente não deve apenas servir para doar sangue ao vizinho, mas para mesclar sangue, amizade, fraternidade e confraternizar não tão somente os risos, mas o que existir de melhor neste carrocel que norteia uma canção velejante e que todos nós acostumamos a chamar de vida.E certamente a vida continua e continuará sempre plausível, mas inriquieta, travessa, aventurada e aventureira, com risos ou com sorrisos ou sem ambos...algumas magoadas, desesperadas e desesperançadas, mas mesmo assim é o mais sublime fator natural que Deus presenteou para este planeta chamado terra.
Divergente e diversificada a vida é assim.
Convergente e conectada, ela deve ser assim.
Seja lá como for a vida é precisa é ser amada.
A vida é algo divinal e caminha lado a lado, com os nossos sonhos e sentimentos, sejam eles os mais humildes, ou os mais alvoraçados,os mais polêmicos ou mais dinâmicos, isso mesmo, temos a obrigação de dosar essa chama que acende no íntimo de cada ser vivo, querele seja um "ente" racional ou inrracional.
E assim em uma constância desenrrola-se o novelo da vida e, cadea um com o seu contendo, a sua história e a sua narrativa própria.tomara que nesse deleite de bondade, de sapiência que cerca toda a vida, cada um saiba valorizar a sua.
Que a delineie de forma digna enquanto estiver sob o Sol ou navegando em uma canção a mar aberto e tenha uma influência de contentamento sob um luar de noites aquecidas pelo prazer de querer viver um eterno desejo de felicidade.
Quando tudo possa parecer azul, imagino que a vida deve parecer azul.
A vida deve ser azul e líquida,imagino assim por que é a cor do meu signo.
O signo de peixes, o melhor, o mais sensível dos signos, assim descreve este autor, com linguagem juvenil e inocente.
O meu signo é aquele que paira sobre todos os sentimentos de carinho, de afeto, de acolhida, de entretenimento e por que não dizer um signo que faz seus oriundos embriagar-se com a sedução dos seus desejos que sai da alma e, afeta os corações daqueles que se propões a viver uma vida amada, apaixonada e decantada com a lealdade humana.
Ah...Sabemos que a vida é cheia de nuances, de surpresas, de gracejos e cebos em muitas cabeças e por isso muitas vezes ela se torna monótona.
Sim, posso dizer que ela eras monótona, mas ho0je na era da "internet", nenhuma pessoa mais fica só, eu mesmo um jovem autor vou lá e descarrego na "web", meus cochixos quimerísticos e amigavéis desejos de sapiências.

José Maria Souza Costa

PRA NAMORAR, PRA TREPAR OU PRA SORRIR

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

QUARTA PARTE.

PARA QUEM TEM UM GRANDE AMOR.

Repentinamente ela surge em minha vida como se fosse uma estrela reluzente, que devora a noite com o seu brilhar e, estupra a mim com o seu clarear radiante.
Imagino que agora ela queira ser uma estrela.
Essa coisa pulgente que encanta a alma e faz delirar os poetas menores como eu, com a utopia de um dia beijar-te ao menos as pontas dos dedos da mãos.
Eu carrego essa quimera cotidianamente, desde o nascer até o pôr do sol em uma noite de verão.
E ela surge em minha casa na figura de um menino homem ou adolescente homem, que expande-se de felicidade ao deparar com o sorriso dela, isso mesmo, o excrachado riso do seu ex-amor derramando em outros braços, absorvendo outros cheiros, como se jamais estivesse esquecido um dia sequer do seu primeiro amante, do seu primeiro gozo ou da sua derradeira trepada.
O adolescente é assim: ancioso, desejoso e as vezes deslocado.
As vezes insinua que quer beijar, quando na verdade ele quer apenas trepar e, as vezes insinua que quer trepar quando na verdade ele quer mesmo é encher o saco, a paciência no ouvido da menina que um dia o iludiu dizendo que amava e, no outro abriu a blusa e protituiu-se com um outro.
O que fazer ?
E então ?
O que fazer agora ?
Ou sorrir ou chorar.
O que não pode é gargalhar eternamente no picadeiro do mesmo circo e retratar através do rosto a fisionomia do eterno palhaço.
Neste momento sei que os seus olhos brilham, reluz....sei que deves está com a mão no queixo pensando, ou com aquele sorriso sem cor e sem graças nos lábios a perguntar:
É de mim que ele está escrevendo ?
Sei lá...responde o autor.
Estou narrando o que acontece com dezenas de centenas de jovens adolescentes que procura um caminho, mas de repente pára, a deparar com a primeira cruzada que ante-põe os seus desejos e, não com bina com o seu egoísmo juvenil.
Posso dizer que:
A vida é um colosso.
Ela é uma ambragência enorme de sentimentos que caminha desde a lágrima derramada pelo adolescente, que chora por que perdeu a namorada, até o caminhar singelo e silencioso do velhinho que me seu palmar o deixa com experiências ilienável ou ao barco que lentamente navega nas águas claras de uma canção por mar aberto.
Quantas vezes as cores do arco-íris não deslumbrou o seu olhar ?
Quantos não tiveram a mente deturpada por pensamentos isanos ?
Isso mesmo, a mente a memória RAN. do computador humano. Quantos não tiveram que esconder-se atrás do seu silencio íntimo para poder sobreviver ?
Quantos nesta vida fingem-se de mortos, imaginando uma reissureição para o bem ?
Na vida é assim, um dia somos palhaços, no outro um enorme teatro a espera de um grande espetáculo.Também pudera, cada um tem o seu grande amor na vida.Eu tenho o meu, você tem o seu e, assim o cotidiano amoroso vai-se desenrrolando ao meio da humanidade como fosse um novelo de fio enorme, que une a cada um pelos nozes. E esse novelo desenrrola-se e volta pelos lábios da juventude com expressões curiosas com Ficar em vez de namorar ou trair.
O adolescente tem pavor a traição, ela o assusta tão quão os cães assustam-se com fogos de artíficios. E assim eles vão construindo o seu mundo particular, o seu próprio vocabulário, o seu linguajar íntimo e suas traduções individuais. Eu, como autor, particularmente não vou perder esse carrocel.
Sinceramente, quero está nele, dentro dele para não perder o bonde dessa revolução juvenil, que as vezes de tão pura, nem cheira a sexo, mas sim a desejos e afinidades que apenas o forro da cama e a quimica dos gemidos sabem como traduzir.

José Maria Souza Costa

METRÔ

E derepente todas as pessoas correm em direção ao Metrô, afinal é o meio de transportes mais disputado nesta nossa São Paulo, que amamos e que nos desafia a cada dia. Ali no interior do vagão agente observa pessoas de camisas vermelhas, outros de camisas azuis, homens e mulheres que empurram-se, outros que atrapalham-se e assim, nesse empurra empurra, as pessoas se esbarram, são homens que acoxam as mulheres e, nesse momento você percebe nos rostos femininos os desconforto, o constrangemento enfim, toda a saga de um povo que é tocado como se fosse gado.
Quando este veículo passa na estação Paraíso ( que de Paraíso só tem o nome),quando ele pára na estação Sé, as 18:00 horas, haja coragem para adentrar-se,e para a surpresa e alegria de todos, o condutor com aquela voz suave e elegante berra, " queiram por favor não ficar parado nas portas por que 70% dos atrasos são por que as pessoas ficam estacionados às portas".
Ora cara pálida, diria um amigo meu, se o trem está entupido, aonde é que agente vai estacionar ?
Seria bom que todos os usuarios do metrô, tivesse consciencia do constragimento e entupisse a Ouvidoria do Metrô com reclamação, por que é sabido, que o transporte em Sampa, é horrivel não por causa do usuário, mas sim, por causa da incompetência velada do poder público.
Você que é usuário do Metrô, não aceite esse acinte, escreva para a Ouvidoria e não aceite além dos Impostos, essa responsabilidade de ser culpado por o Metrô de São Paulo está saturado.

José Maria Souza Costa

PARA RIR....para meditar...PARA CONFUNDIR

CAMISOLA HISTÓRICA
Depois de 25 anos de casamento a mulher resolveu tentar resgatar o interesse do marido e vestiu a mesma camisola que usou na noite deNúpcias.

- Amo-or! - sussurrou ela, com voz 'lânguida'
- (essa voz é interessante)- Lembra dessa camisola?
O marido tirou o olho do jornal e disse:
- Sim. É a camisola que você usou na nossa lua de mel!
Por quê?
- E você lembra do que você me disse naquela noite, quando me viu comessa camisola?
- Sim, me lembro! - respondeu o marido
- Eu disse:
- 'Você está maravilhosa nessa camisola, Clarice! Quero transar com você até te deixar ACABADA!!!'
- E agora, depois de tantos anos, o que você tem a dizer?
O marido olhou a esposa de cima a baixo e disse:
- Missão cumprida !!!
Obs.:
está piada eu recebí por e-mail de " salvioleide@ig.com.br"

José Maria Souza Costa

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

CAMINHADA RUMO À ESCOLA

Parece uma enorme piada, mas repentinamente o dia passa e o tempo corre e a noite só resta-me caminhar até a Faculdade.
Lá vou encontrar um monte de gente, cada um com pensamento diferente.
Uns querem ser doutores, outros literatos e, tem aqueles que como eu pensa apenas em aprender, com a experiência de tantas adversidades.
A estes heróis meus parabéns, sempre.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

DO LADO DE LÁ COM A LEITURA

Fazer qualquer coisa para chamar atenção, é válido.
Principalmente quando abrimos um livro e ao ler, entendemos a sua narrativa.
É verdade que os estudantes de hoje, lêem e não entendem ?
Não creio, isso deve ser maldade de algum literato.
Mas deixemos isso pra depois.
Alô, Renata Campos Dias, minha poetisa maior, estou lhe esperando na sala "Q", para falarmos das coisas boas da vida........
José Maria Souza Costa

terça-feira, 23 de setembro de 2008

DO DESEMPREGO AO RISO

DO DESEMPREGO.

Repetinamente encontrei-me desempregado e só.
Os amigos fugiram todos e fiquei só.
Somente eu e duas filhas.
Não.
Somente eu, duas filhas e uma irmã mais velha que eu.
Todas essas mulheres comigo e eu desempregado.
Desempregado sim, mas com a minha dignidade em alta, com força para lutar, com coragem para seguir em frente e, uma esperança enorme de começar um novo tempo.
A vida tem dessas coisas.
A vida produz pessoas e mais pessoas e, somos obrigados a conviver com o lado sujo das amizades.
A vida exige de você experiências, para qualquer que seja a incubência por ela sorteada.
Até mesmo para conviver com pessoas diferentes ela requer sabedoria. O ser humano é dotado de sentimentos.
Sentimentos para odiar, para amar, para trair e até para sorrindo observar a desgraça dos outros.
Pensando assim, agente pergunta:
E os amigos ?
Quem são ou aonde estão ?
Para mim é como se a vida fosse uma eterna canção das águas.
Sabes como é a canção das águas ?
O ser humano será eternamente dotado do sentimento de falsidade.
Falsidade para rir e para chorar.
Falsidade para cantar e debochar.
Falsidade para comer e mastigar.
Falsidade para aplaudir e apunhalar.
Pense comigo:
- Quantas vezes tiveste um amigo e convidaste para ir a sua casa, adentrar em seu quarto e comer em suas panelas ?
Quantas vezes essa mesma pessoa que sorriu com você, que adentrou em seu quarto, que comeu em suas panelas, não apunhalou-te pelas costas ?
E as vezes teimaste tanto para manter amizade com ela.
Insistiu imaginando que iria transformar essas pessoas e esqueceu, que os que nascem com distorção de caracter, jamais se recuperarão.
É preciso aprendermos isso, senão eternamente viveremos dando murro em ponta de faca, como diz o dito popular.
É preciso mudar, senão ou muda você ou muda a vida e, as vezes mesmo com sacríficios enormes, é bom mudarmos o percurso de um comportamento ingenuo que carregamos, imaginando que todas as pessoas que estão sobre a terra, são pessoas de bem.
Ponto final
Josè Maria Souza Costa

PRA CANTAR, PRA REBOLAR

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

SEGUNDA PARTE.

As vezes peço para a minha alma pular...rebolar...dançar e flutuar em direção dos desejos agudos da paciência, mas outras tantas vezes, ela teima em desejar o outro par da outra metade que deve está solta e saltitante por aí, como se fosse uma canção a navegar sem rumo, sem rimas e sem versos, em busca de uma página em branco para pousar o seu poema.
As mãos vazias, os pés solto para um longo caminhar, um olhar distante e uma gentileza sadia que sacode o coração e deixa as veias reluzente de felicidade.
As vezes as coisas são boras, outras vezes elas vão embora em outras tantas elas embolam e fazem as coisas acontecerem. Neste momento alguém está embriagado de tesão, alguém em mar aberto está cantando uma canação, ou assobiando de contentamento, ou mesmo deitado em seu camarote escrevendo um livro ou soletrando uma palavra de amor, sonhando em amar as águas agitadas de uma mar aberto.
Tomara que todas as pessoas estivessem neste momento amando-se para que a terra pudesse respirar um pouco de concordância.
As coisas acontecem assim, parece muito fáceis para uns e menos fáceis para outros, mas no fundo as ternuras são todas iguais.
A vida vai sempre sorrir mais para uns que para outros.
Eu quero toda a densidade de um grande amor.
Eu quero toda a paz, a maior delas, a paz interior, aquela que as pessoas carrega com a alma e transpira felicidade e equilibrio emocional.
Diariamente encontramos pessoas esperançosas, destemidas e saltitantes...sempre com o desejo de querer mais, elas obviamewnte querem tudo, querem ser estrelas, serem rapidamente reconhecidas pelas calçadas da vida, querem e insistem a todo custo sair do anonimato e como diz um amigo comum meu ..." cair na gandaia ..." e, para que isso aconteça elas se arrastam atrás de espaços e ajuda
O espaço de cada um é ele que constrói.
Você busca o seu espaço através do trabalho e de um esforço incomensurável, mas com honestidade e, para isso não precisa pisar na cabeça das outras pessoas e nem fazer delas escada passadiças, basta apenas caminhar a passos largas rumo a trilha que durante a sua vida contruir. Aí as pessoas lhe verão pela sua conduta, ainda que navegando em um barco simples e cantando as rimas de uma lealdade que certamente brotará de denttro de sua alma e passará pelos enlace da sua vaidade e pousará no cais das sua personalidade, enfeitando a bandeira dos seus desejos.Assim agente desenha a nossa conduta.a conduta das pessoas simples, como a dos meninos de dezoito anos, sem maldade, sem verso e sem reverso, às vezes destiladas nas algas marinhas dos "marinhos", meninos todos que nasceram de pais alternativos, mas conseguem com galhardia sobrepuljar essa coisa "dantesca" que alguns chamam de destino.Repentinamente você desenha o seu destino.
Se deixar-se ferir por pensamentos ativos, leais, dinâmicos de proporão verdadeira, certamente quando estiver em mar aberto pela vida, saberá distinguir os amigos dos aproveitadores ocasionais.
Os meninos são assim: anciosos, agitados, muitas vezes nervosos e impaciêntes.
A tudo eles querem, a todos eles desejam, anseiam e, de repente quando nada sai do jeito desejado ou sonhado, els ficam emburrados, xerocados e encolhem-se em cantos obscuros de resmungos.
Os meninos todos, teêm medco que os seus sonhos fracassem, por isso são exagerados, mas nós os adultos sabemos, que na solidão de cada fronha eles choram implorando ajuda sempre.
Ah...Eu conheci um adolescente que perdeu a namorada.
Ele passou por dias tensos.
sua ansiedade era tanta que influênciava em sua fisionomia, por momentos ela alternava alegria com nostalgia. As vezes ele desfilava sozinho pelas ruas da cidade, buscando no vazio do olhar, uma expressão que preenchesse o seu contemtamento e resgastasse a sua alegria.
Esse adolescente tem um olhar brilhante, mas que foi ficando morto, opaco, apagado, sisudo e cinzento perdido entre os sonhos, que certamente ele imginava não voltar, nunca mais.
Mas o jovem é assim, ele consegue arrancar do útero de sua alma, uma força enorme que não cala com as medidas de suas atitudes e, deixa a mar aberto navegar entre ondas sua malícias e o seu pudor em comportamento.
Iça a vela e segue, rumo a uma canção qualquer que a vida lhe desenhar, ainda que seja por um instante de insegurança.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

MINHA MÃE " EU TE AMO NEGUINHA"

.....esse cabeçalhp acima não é meu e sim autoria do Paulo César Teixeira do Nascimento, meu amigo de Classe "Q", na faculdade de Letras.
Eu a robei dele para dizer que quando possuimos mãe , elas estão vivas, é a sensação mais prazerosa que o ser humano pode sentir.
Fazemos papel e desenhamos uma quantidade enorme de adjetivos para qualificae a função de "mãe'.
E por que será que agimos assim ?
Por que figura materna, representa para nós, uma expressão de ternura, com acompanhamento de aconchego ou de proteção.
Quando ainda somos bebê, a mamãe é a nossa maior protetora, tanto que é ela que sempre escolhemos para nos levar`à escola no primeiro dia de aula e, ninguém pode se aproximar de nós, sabe por que...por que senão a mamãe briga..rsrsrsrsr......
E mãe é quase sempre a mesma coisa ?
Depende, para mim, mãe é mãe, e o resto é imitação.
Por isso elas são chamada de amor, de amore, de neguinha como descreve PC Teixeira,para mim mãe não faz o filho chorar, por que ela chora por ele, jamais ela o deixa pedir por que ela o faz por ele, mãe não faz o filho sorrir sozinho, ela divide esse momento unico e singular de ftrescor humano, para traduzir em "riso" o que ambos sentem, contentamento.
Mãe não tem cor, nem sexo, nem limite, por isso ela é sempre mais importante que o pai.
Mãe, pode ser "neguinha"como disse o autor da frase, mas o afeto, a candura, a dedicação, a roupa que deixa pronta para agente vestir, o arroz com ovo que elas fazem, as broncas, as brigas de ciúmes com a nossa primeira namorada, a olhada ao sair de casa, a desconfiança que nos olha quando estamos no ponto de ônibus tudo isso e muito mais que não cabe neste texto faz entender que mãe não tem cor, tem qualificantes, qualidades, nomes e neste texto todas às nossas mães são "neguinhas" que deriva de "Negra" que é a qualificação de NOBREZA.
Ao meu amigo e colega PC Teixeira, muita atenção para com a sua neguinha e não deixe ela fugir, por que se isso acontecer as lágrimas afogarão a sua vida e nunca mais a beleza e Nobreza do VERBO, será a mesma, continua você.................

NA ESUINA DO QUEIXO

NA ESQUINA DO QUEIXO

Não sei se é quadrilha
ou a vida aflita de um pirralho
Não sei se eles agitam
As ruas do centro desta São Paulo
Não sei se cheiram a alho
Ou sugam as grandes arvores
Com os seus olhos esbugalhados.

Mas sei que pelos atalhos
ou vielas desta cidade
O que não falta além dos desempregados
São cortadores de cana abandonados.

Surgem das esquinas moribundos
Com o olhar assustado e desconfiado
Esfarrapado como se este mundo
Fosse um grande teatro para vagabundos.

E de todos os lados eles vem com seus arrotos
Cortam avenidas e anelviários
Afogam-se em praças desesperados
Dormem nas calçasdas e rodoviárias.....
São os meninos de rua que bebem cola sob a luz da lua.

Descalços, descamisados
Malvestidos e maltratados
Com o rosto e a alma nua
Com o olhar perdido e a pele suja
Sem horizonte e sem direção
Sem pai, sem mãe e sem perdão
Sem os amigos, sem fé e na contra mão
Sem vez, sem voz e sem compaixão.

E quando pela rua eu passo
Encontro corpos como se fosse masso
De um papel qualquer
Quase sem graça
Que agente amassa e logo descarta
Como se fosse lixo vendido em lata
ou papelão medido por taxa.

Ah! todo guri tem duas caras
Uma que mente outra que pede
Uma que morre outra que late
Uma que come outra que escarra
As duas se unem num cheque-mate.
E quando faz ....
Da calçada o teu colchão
A voz engasga e a lágrima cai
O peito explode e a voz não sai.......
Sei que vai lembrar do pai, da mãe, do irmão
Da vontade de voltar
Mas lhe falta perna,coragem
De olhar para trás e pedí perdão.

E aquele moleque lá da Sé
Sem roupa, sem pé, sem esperança
Sem Deus, sem o diabo e sem lembrança
Sem pai, sem mãe, sem irmão
Sem rosto, sem luz, sem vida e coração
Sem paz, sem rumo e sem direção
Todo sujo, todo esfolado, descamisado e descompassado
Cansado, com fome, com sede e com vontade
De achar um caminho com a semente ...
e muita vontade de querer ser gente.
Ponto final
José Maria Souza Costa

OS BRAÇOS CRUZADOS DO WESLEY

Era dezembro de 2005, em minhas muitas andanças pelos orgãos publicos de São Paulo, adentro no "Poupatempo Sé"( é um Edificio localizado no marco zero desta cidade,e por isso o nome, ali tudo está centralizado para o cidadão paulistano, principalmente documentos pessoais) e derepenre encontro o Wesley,sentado com a sua bolsa e o seu guarda chuva em um dos muitos bancos, esperando a sua vez para navegar na "web". Como estava distraido, toquei-lhe as costas e perguntei:
- Como está ?
Ele me respondeu:
- Tudo esta do mesmo jeito, nada muda,o governo isso que ai esta, não faz nada para mudar nada.
Eu lhe indaguei novamente.
- O que voce tem feito então, para mudar a sua vida ?
Ele respondeu-me:
Eu não faço nada, o que é que eu vou fazer ? respondeu -me interrogando. Depois de um longo periodo ali, nos despedimos e eu tive que retirar-me, era um periodo em que eu estava ocioso nesta nossa Sampa querida. Em abril de 2006, estava almoçando em um local e, volto a encontrar o Wesley e, o indaguei:
- Como esta la dolce vita ? disse sorrindo
Ele respondeu:
- Estou do mesmo jeito, esse governo é uma m...,os caras só pensam em roubar e não fazem nada por ninguem.No final do mesmo mês eu viajei para o Estado de Mato Grosso e, assumir a equipe do Barra do Garça FC, para disputar o Campeonato matogrossense de Futebol profissional, onde por sinal fomos Campeões do primeiro turno e, em junho retornei outra vez a São Paulo a convite do SC Campo Limpo Paulista, para disputar a Segunda Divisão do Campeonato Paulista de Futebol e, em uma dessas minhas idas e vindas pelas ruas desta minha querida cidade, encontro Wesley na "Achiropita"(um local de assistencialismo humano). Reconheci e indaguei-lhe.
- Como esta, la dolce vita ? E ele respondeu-me- Na mesma, nada vira, tenho apenas que esperar o tempo passar. Como estava de saida, apenas apertei-lhe a mão e seguir em frente. Hoje janeiro de 2007, eu vinha pensando pelas ruas do centro desta São Paulo, o que eu escreveria para esta coluna e, derepente eu desço pela rua XV de novembro e ao cruzar a rua Jose de Anchieta, quem eu encontro ?
- WesleyEstava agarrado a um pedaço de papelão, que certamente lhe servirá de cama esta nesta noite fria de São Paulo, por sinal neste momento chove densamente e, lamentavelmente parei ali, de longe olhando a cena e, percebir que Wesley: que é tecnico en Informatica, ex corretor de valores, virar "morador de rua". Venho nesta coluna convidar as pessoas a refletir a vida. É preciso que cada um de nós façamos a nossa parte, que o governo faça a parte dele, que cobramos,mas é preciso arregaçarmos as mangas da coragem, é preciso descruzarmos os braços, as mãos, as pernas, senão não chegaremos a lugar nenhum. Wesley, é uma lição penosa para mim.É um espelho pelo qual tenho que refletir e convidar a cada um de nós a fazer o mesmo.
O que fazer ?
Como fazer ?
Por que fazer ?
Não se pode desistir da vida e muito menos na vida . A vida esse dom precioso que Deus nos deu gratuitamente e, que agente mescla com esse carrocel que acostumamos a chamar de relacionasmento humano, temos que incentivar as pessoas sempre a desfilar firmemente na direção do nascer do SOL . E você o que tem feito para mudar a sua dolce vita ?
O que sonhou para mudar a sua doce vida ?
Ou vai esperar o bonde dos desejos passar carregado de ilusões ?
Desperte enquanto há tempo.
Ponto final.
José Maria Souza Costa

de: RENATA APARECIDA DIAS.

Olá José Maria, Irei ler tua obra com carinho! Abaixo tem algumas criações minha, leia e comente =) EpitáfioLuz
EpitáfioLuz
Apagada!
Corpo Calado!
Cama Desarrumada!
Peito Acorrentado!
Forma nua no escuro do quarto
Carpe diem
Um dia a mais corrido e cansado
Um dia a mais na Compania de um velho retrato.
Vozes!
A rua emite sonsSorrisos!
Cinismo é piada!
Água
A terra anda abismada!
Ação
O povo não sente nada!
Formas e formas no escuro do quarto
Um retrato real de uma pessoa normal
Um momento anormal de uma cena exclusa
Mundos e mundos escondidos por trás de um olhar
Fantasmas e carmas no escuro do meu quarto.
Nota:
Este poema é da Renata Aparecida Dias - minha colega de faculdade e faço essa homenagem a ela publicando aqui neste espaço, por ser a mulher que mais conversa durante as aulas...vai ter assunto assim...lá no bairro da Aclimação.
Renatinha, um beijo do tamanho da nossa amizade.

DO BATENTE DO MEU QUARTO

DO BATENTE DO MEU QUARTO

De repente eu sento ao batente da porta do meu quarto e, deixo o olhar fugir em direção à rua.Ele passa por uma porta, por uma outra porta e por mais outra e repetinamente esbarra no muro que separa a rua de nossa casa velha.
A minha casa é grande, enorme, dividida em quartos e, nesses quartos moram pessoas e mais pessoa com seus filhos, esposas, esposos e, mais e mais parentes.
O meu quarto é um misto de tudo: sala, quarto, aréa de lazer e tudo mais.
Por entre tantas coisas deixo escorregar a minha preocupação com o dia a dia que me cerca, alvejado de desejos, responsabilidades, obrigações e, tantas outras coisas que exige de mim: atenção, compreensão e tantos outros sentimentos.
Quanto mais o tempo passa , mais as minhas responsabilidades aumentam, as minhas preocupações se acumulam e, tudo parece caminhar na direção de que somente eu póssa responder por tudo. Queria eu neste momento poder dividir responsabiliades, mas olho em minha volta e não consigo parceiros para isso. Na verdade eu sou o responsavel por tudo: as minha meninas são de menores, a minha irmã que mora comigo, apesar de meio século vivido tem a mesma mentalidade da minha menina adolescente de quatorze primaveras, mas por trás disso, afirmo que ela é uma pessoa maravilhosa, meu anjo da guarda...a ela, devo um monte de coisas: como por exemplo a preocupação que cotidianamente ele tem comigo, o respeito que ela nutre por mim como pessoa humana e, tqantas outras coisas que se aqui fosse inumerar no papel e na tinta não caberia tamanha qualidades. Por ela eu tenho todo o meu amor deste mundo, tenho a gratidão de ter-me ajudado a criar as minhas duas meninas, com o maior empenho humano como se ela fosse a mãe delas. Essas coisas simples para algumas pessoas, para mim é de um valor humanitário ilienável. Por isso e por tantas outras qualidades que ela possue, que sempre irei afirmar por ela, todo o meu reconhecimento, toda a minha lealdade, todo o meu respeito e quando sento à porta do meu quarto e deixo fugir por entre portas o meu olhar, nele caminha perenemente o eterno amor por uma pessoa do bem.
Neste momento, quando muitas pessoas nem seuqer se olham ou se amam, eu e minhas meninas temos o orgulho de nos amarmos muito,de nos compreendermos muito, de dividirmos as tristezas, as alegrias e decepções uns com os outros, por que a vida nunca foi e nem sempre será uma eterna roda de risos e alegrias. Neste caminhar de olhares, de gestos, de risos, é que eu e a minha família fazemos planos de dias melhores e, assim vamos rompendo a barreira das dificuldades, para deslizarmos rumo a um mundo de oportunidades e conhecimentos e, assim possamos hoje sonhar com um amanhã de muito encanto, deslumbro e entretenimento. Quase sempre os nossos relacionamentos familiares são marcados por encontro de risos...mas, precisa também que ele seja feito de muita seriedade, serenidade, sem pré julgamentos, sem essa coisa de apontarmos com o dedo um para o outro, certamente temos convicções que isso não leva a nada, a vida precisa de mais coisas, de mais qualidades, de mais dinâmica.Vou ficar outras vezes sentado no batente do eu quarto, meditando o que a vida ainda pode nos oferecer além dessa coisa doce qe maravilhosa que é viver.
Vou sentar ali e deixar o vento rossar a minha pele e arejar a minha mente para que eu possa deixar jorrar no papel experiencias que me levam a ajudar tantas outras pessoas e amim mesmo, tomando decições que ajudem a engradecer, o comportamento das minhas meninas e de tantos outros amigos.
Aquela casa velha amarela, toda cheia de quartos, de sons, de som é o começo de um renascer.Por ela desliza muito mais que risos, que sonhos, por ela desliza a esperança que tenho de ser feliz junto das minhas filhas e a minha irmã muito amada.
José Maria Souza Costa

PARA LER E NAVEGAR EM MARES DANTES DESEJADOS

A CANÇÃO EM MAR ABERTO

PRIMEIRA PARTE.

" ... eu caminho vagamente entre automóveis que aceleram agitados pelas vias carbonizantes com os seus aromas de gases que embriagam a alma que delira sonhando que a noite apareça, para ela destilar o seuencanto ou envenenar o seu rebolado"
.Esta cidade de São Paulo que carrega permanentemente o espirito da divisão emocional e a cada instante faz o ser humano tornar-se mais distante, mais ausente, menos afável, mais egoísta, mais maldoso,mesmo que revista-se de pluralista, ou apareça para o seu espelho como se fosse um libertário dos desejos sonhados.
Eu continuo caminhando lado a lado com o bom senso, com o meu espírito fraterno defendendo as minorias, com o meu sonho de uma ampla reformano pensamento para que as pessoas possam sair dos seus armários, dos seus guarda-roupas e sem medo, sem ranço na alma, sem tempo de olhar para trás como se desesperadamente olhasse a vida por um estranho retrovisor.
A vida precisa de luz e qualquer vida requer luninosidade própria paraseguir adiante, às vezes nem importa o rumo ou a direção a seguir, mas sim o facho que explode como se fosse uma enorme cachoeira.
Eu caminho a quilometros de distância em busca do meu sol, para aquecer os meus sonhos ou parir os meus deslumbros e, faço desaguar pelas lágrimas, as corridas vacilantes que eu dei, quando ainda muito jovem imaginava que em vida tudo podia, tudo sabia e o tempo fez-mereciclar a velha alma e deixá-la, mais sensata, mais humilde, mais humana, ainda que calejada pelas pegadas de aventura, mas com risos muito tenros e sorrisos mais afáveis.
Em um dia todos fomos meninos e num outro quase velhos amadurecidos,esquecidos pelas obras que não produzimos.
A vida é assim para uns um caminhar sem rumo e sem sonhos e, para outros uma clarevidência que mescla-se com a douçura dos pensamentos positivos e deslumbra-nos como tal o riso do recenascido.
O que fazer para interrogar a vida ?
Buscar a distância através do olhar ?
Distanciar as interrogações ?
Interrogar o nada e rever o além ?
Ou nem sequer observar as alternativas acima e chegasr em casa, colar abunda na banqueta, sacar o terno e trocar pelo agasalho e, caminhar pelas longas avenidas das metrópoles, como se a vida resumisse em umleva e trás de patrícinhas e maurícinhos, embriagados na doce ilusão que na vida tudo é rosa.
Cada um, deleneia o seu caminho e junto dele traça o seu destino e desliza como barco em direção a mares revoltos, chorando a procura para ancorar num velho cais.
A vida é quase sempre assim, com nuances que nos surpreende, mas quenos faz despertar constantemente para um novo dia.
Quando ainda jovens sonhamos em sermos a estrela na terra, desfilarmos com as melhores mulheres, com os melhores "muleques", com os melhores risos, mas jamais imaginamos que estes traços estão mais velhos quando chegar o amanhã.
Tudo encanta e desencanta a um só tempo.
E qual será a enorme descoberta ?
- O amor pela vida, afirmo.
Eu calo, eu não falo.
Eu danço bolero em dois compassos.
Eu navego em todos os mares.
Deslizo por todos os bares, lares. E insisto que os lares aglomerem-se, como fosse uma grande casa dos encontros sonhados pelo enamorados dos serenos cobertos por sonhosespertos, navegando sorridente sob a canção de um mar aberto pelos ventos agitados de uma grande descoberta.
José Maria Souza Costa